PUB

O chefe de Estado português, Marcelo Rebelo de Sousa, afirmou hoje que está no Brasil “num gesto histórico” e negou desconforto por ter assistido ao desfile cívico-militar do 07 de Setembro ao lado de Jair Bolsonaro.

Em declarações à comunicação social, num hotel em Brasília, Marcelo Rebelo de Sousa disse que “de onde estava não ouvia” as palavras de ordem que foram gritadas pela multidão em apoio ao Presidente do Brasil e contra Lula da Silva, seu adversário na campanha em curso para a eleição presidencial de 02 de outubro.

Questionado se estava confortável por ter estado nesta cerimónia, o Presidente português respondeu: “Sim, sim”.

PUB

“Eu estou aqui para representar Portugal num momento histórico, fosse qual fosse o Presidente. As pessoas têm de perceber o seguinte: a campanha eleitoral dura X tempo, o mandato do Presidente dura muito mais e a História de 200 anos dura muito mais. E o que fica para a História é que Portugal esteve presente num momento histórico”, declarou.

“Eu venho aqui num gesto histórico. Este é um momento histórico, e não é histórico por haver uma eleição, é histórico porque são 200 anos de vida de um Brasil independente, que é um orgulho para nós”, acrescentou Marcelo Rebelo de Sousa.

O Presidente português argumentou ainda que “Portugal tem relações diplomáticas com democracias e com ditaduras”, referindo que recebeu chefes de Estado e visitou países “independentemente de os regimes serem parecidos ou não, de as personalidades serem parecidas ou não, de as conjunturas políticas serem parecidas ou não”.

“O que interessa é que há um milhão de portugueses a viver no Brasil e há 250 mil brasileiros a viver em Portugal, e esses continuarão a viver qualquer que seja o Presidente, qualquer que seja o Governo, e a minha função é representar a nação portuguesa”, defendeu.

Pub