Pub

Os Açores detetaram hoje o primeiro caso de infeção pelo novo coronavírus num lar de idosos, uma mulher de 88 anos, que terá sido infetada no Hospital de Ponta Delgada, onde esteve internada, disse fonte do Governo Regional.

Ao final da manhã, a Autoridade de Saúde Regional dos Açores tinha anunciado a identificação de três novos casos positivos de covid-19 na região, duas mulheres de 91 e 77 anos, na ilha de São Miguel, relacionadas com uma cadeia de transmissão local, e uma mulher de 48 anos, na ilha do Pico, com histórico de viagem recente ao exterior.

No ponto de situação diário sobre o surto, à tarde, o responsável máximo da Autoridade de Saúde Regional, Tiago Lopes, revelou a existência de um quarto caso, uma mulher de 88 anos, na ilha de São Miguel, relacionada com a mesma cadeia de transmissão local.

A mulher esteve internada no Hospital do Divino Espírito Santo, em Ponta Delgada, onde terá tido contacto com profissionais de saúde infetados pelo novo coronavírus, mas a cadeia de transmissão e os contactos próximos das pessoas que a integravam só foram identificados depois de a utente regressar ao lar de idosos, no concelho do Nordeste.

“Os profissionais de saúde estiveram a exercer e contactaram com outros profissionais e com doentes que estavam sob a alçada dos seus cuidados na unidade hospitalar. Durante o tempo que intermediou o tempo em que eles se infetaram, prestaram cuidados e foram diagnosticados, deu tempo de esta pessoa ter tido alta e ter sido transferida para um lar de idosos”, avançou o responsável da Autoridade de Saúde Regional.

A cadeia de transmissão que provocou este novo caso é já secundária (tendo passado para contactos de segunda linha) e teve origem num turista estrangeiro, que frequentou uma unidade hoteleira no concelho da Povoação.

Segundo Tiago Lopes, as autoridades de saúde ainda estão a identificar todos os contactos próximos dos casos já confirmados nesta cadeia de transmissão.

“Estamos a voltar atrás no tempo e identificar todas as pessoas que eventualmente possam, de forma direta ou indireta, estar também infetadas“, afirmou, alegando que está ser feito um levantamento de todas as pessoas que “tiveram alta clínica” do Hospital de Ponta Delgada e “foram transferidas para as estruturas residenciais para idosos e para as unidades de cuidados continuados integrados”, nas últimas semanas.

A estrutura residencial para idosos da Santa Casa da Misericórdia do Nordeste está encerrada e só reabrirá depois de todos os utentes e funcionários terem sido testados.

“Está encerrada e os profissionais que lá estão, estão a prestar assistência a todos aqueles que estão institucionalizados, até nós verificarmos a existência ou não de mais casos positivos”, frisou o responsável da Autoridade de Saúde Regional.

Mediante os resultados, será avaliada a necessidade de transferir utentes para unidades de saúde e de substituir funcionários.

Está em cima da mesa a possibilidade de os profissionais de saúde da Unidade de Saúde de Ilha de São Miguel prestarem esse serviço.

Já foram confirmados 71 casos de covid-19 nos Açores, em seis ilhas, estando um deles recuperado.

São Miguel, a maior ilha do arquipélago, é que a tem mais casos registados (35), seguindo-se Terceira (11), Pico (10), São Jorge (sete), Faial (cinco) e Graciosa (três).

 

Comunicado

Segundo Tiago Lopes e à data de ontem, 6 de abril, existiam 110 casos suspeitos para infeção por Coronavírus na Região Autónoma dos Açores, dos quais 72 tiveram resultado negativo: 66 da ilha de São Miguel, 4 da Terceira, 1 do Pico e 1 do Faial. 3 casos obtiveram resultado positivo, sendo 2 de São Miguel (relacionados com a cadeia de transmissão secundária, originária na Povoação) e 1 caso na ilha do Pico relacionado com viagem ao exterior da Região.

Dos 110 casos suspeitos, 35 aguardam: 30 de São Miguel, 4 da Terceira e 1 da Graciosa.

Até às 0H00 de hoje, 7 de abril, surgiram na Região Autónoma dos Açores 30 casos suspeitos, 14 deles tiveram resultado negativo: 11 da Ilha de São Miguel e 3 da Ilha Terceira. Destes 30 casos suspeitos, nós tivemos conhecimento, já após o comunicado da manhã de hoje, de um novo caso positivo, uma pessoa residente numa estrutura residencial para idosos.

Destes 30 casos suspeitos 15 aguardam resultados ou colheita, neste caso, 10 da Ilha de São Miguel, 2 da ilha Terceira e 3 da ilha do Faial.

Neste momento existem 70 casos positivos ativos na RAA: 35 na ilha de São Miguel (21 em Ponta Delgada, 9 na Povoação, 2 na Ribeira Grande, 2 no Nordeste, 1 na Lagoa); 10 casos ativos na ilha Terceira (4 em Angra do Heroísmo e 6 na Praia da Vitória); 10 casos ativos no Pico (5 na Madalena e 5 em São Roque); 7 na ilha de São Jorge (5 nas Velas e 2 na Calheta); 5 no Faial e 3 na Graciosa.

A Autoridade de Saúde Regional mantém, neste momento, 2 898 vigilâncias ativas: 1 363 originárias da Linha de Saúde Açores (808 24 60 24), 1 535 das Delegações de Saúde: 2 do Corvo, 72 da ilha do Faial, 25 das Flores, 21 da Graciosa, 102 da ilha do Pico, 129 da ilha de São Jorge, 783 da ilha de São Miguel, 20 da ilha de Santa Maria e 381 da ilha Terceira.

A esta data existem 15 pessoas internadas em unidades hospitalares: 6 no Hospital do Divino Espírito Santo em São Miguel (2 em cuidados intensivos), 7 no Hospital do Santo Espírito na Ilha Terceira (3 em cuidados intensivos, sendo que uma delas teve um ligeiro agravamento do seu estado clínico, encontrando-se sobre observação e cuidados reforçados) e 2 no Hospital da Horta.

Os restantes 55 diagnosticados encontram-se isolados em contexto domiciliário: 4 no Faial, 1 na Graciosa, 8 no Pico, 5 na ilha de São Jorge, 29 em São Miguel e 8 na Terceira. A paciente recuperada encontra-se ainda sob observação clínica diária.

Desde o início do surto registaram-se nos Açores 1 167 casos suspeitos: 50 mantêm-se suspeitos e aguardam colheitas ou resultado, 1 046 tiveram resultado negativo, 70 casos deram positivo e existiu 1 caso de recuperação de COVID-19.

 

Pub