“Este será o evento de maior dimensão da presidência portuguesa aqui na Região Autónoma dos Açores”, declarou o governante.

Já para 24 e 25 de junho, prosseguiu, está prevista uma deslocação à ilha de Santa Maria de responsáveis europeus ligados à investigação espacial.

Estes dois eventos, sustentou Bolieiro, “colocam os Açores” no mapa no que refere à “afirmação de áreas estratégicas não só para a região como para o país e a UE” no seu todo.

Para o chefe do executivo de coligação PSDCDSPPM, a saída do Reino Unido da União representa uma oportunidade para os Açores “reforçarem” a sua “presença e influência” no que refere à relação com o mar, seja por via das pescas, por exemplo, ou da investigação.

Os Açores, acrescentou, têm um milhão de quilómetros quadrados que devem ser “devidamente valorizados e tidos em conta nas políticas europeias”.

“Estamos a atravessar uma pandemia. Há desafios muito relevantes ao nível da recuperação económica, da União como um todo, e em cada uma das suas regiões, com destaque para as regiões ultraperiféricas“, como os Açores, rematou.