Pub

“O governo, na próxima segunda-feira, vai assinar um protocolo com a ACIF [Associação Comercial e Industrial do Funchal] e com as associações de taxistas no sentido de garantir apoio às micro e pequenas empresas de restauração e similares e também às associações de táxis, através de uma indexação dos apoios sociais, ou seja, 438,81 euros por trabalhador”, disse o chefe do executivo, de coligação PSD/CDS-PP.

Miguel Albuquerque, que falava à margem de uma visita a uma exploração agrícola no concelho da Calheta, zona oeste da Madeira, explicou que a medida vai beneficiar 7.300 trabalhadores de micro e pequenas empresas e 1.900 motoristas de táxis.

O governante indicou, também, que está a ser estudado um apoio semelhante para o comércio não alimentar de rua, sobretudo ao nível urbano, e sublinhou que haverá uma diminuição da Taxa Social Única (TSU) na Região Autónoma da Madeira.

“O governo está no terreno, neste quadro de pandemia, a garantir os apoios necessários ao funcionamento da nossa economia”, disse, vincando que a situação é de “grande dificuldade”, com quebras avultadas de vendas e de consumo, em parte devido à redução do fluxo de turistas.

Pub

“Não podemos fechar tudo e vamos fazer todo o possível para evitar fechar a economia”, declarou.

Miguel Albuquerque anunciou também a atribuição de apoios no valor global de 1,7 milhões de euros, no âmbito do PRODERAM – Programa de Desenvolvimento Rural da Madeira, a 113 agricultores e empresas de setor agrícola para cobertura de prejuízos decorrentes da pandemia.

O governante disse, por outro lado, que as autoridades de saúde vão começar agora a avaliar o impacto das festividades de fim do ano ao nível de contágios pelo novo coronavírus, quando a região assinala já 23 óbitos associados à covid-19 e 1.503 casos ativos, com 67 pessoas hospitalizadas.

Pub