Pub

O lançamento da obra Uma Viagem aos Açores ou Ilhas Ocidentais/ A Trip to the Azores or Western Islands (edição bilíngue), de Manuel Borges de Freitas Henriques terá lugar no dia 23 de julho, pelas 20h30, no Museu Municipal das Lajes das Flores por Ana Monteiro.

Esta obra, publicada na prestigiada coleção “Clássicos dos Açores”, pretende dar a conhecer o primeiro guia turístico escrito por um açoriano em inglês e que o Instituto Açoriano de Cultura traduziu pela primeira vez.

Manuel Borges de Freitas Henriques, natural da ilha das Flores, emigrou cedo para os EUA. Empreendedor notável, deixou a caça à baleia para se dedicar a outras atividades. Assim, foi tipógrafo, adquiriu um navio, tornou-se armador, dedicou-se ao comércio da laranja, adotou o nome de William de F. H. Burgess, tornou-se vice-cônsul do Brasil e de Portugal, deu a conhecer o Testamento de D. Burro, Pai dos Asnos, do padre florentino José António Camões, obra satírica escrita em verso e publicada em 1865. Dois anos depois, em 1867, a livraria Lee & Shepard dava à estampa o livro intitulado A Trip to the Azores or Western Islands, obra de Manuel Borges de Freitas Henriques que pretendia dar a conhecer o arquipélago dos Açores aos norte-americanos, abordando diferentes aspetos da vida e da história das nove ilhas do arquipélago, com a finalidade servir de guia turístico a comerciantes ou simples aventureiros que o autor estaria a pensar transportar regularmente entre Boston e os Açores.

Se isso, por si só, é já algo bastante inédito, senão mesmo insólito, numa época em que abundam os olhares estrangeiros sobre os Açores, mas são escassos os olhares de quem, sendo das ilhas, está fora há já alguns anos e fala do que conhece e sabe, mais inédito é fazê-lo numa língua que não a sua língua materna. Estamos, pois, em presença de uma obra original, redigida em inglês por um açoriano que vivia em território norte-americano há duas décadas.

Pub

Uma Viagem aos Açores ou Ilhas Ocidentais é, por isso, uma obra única, que se dá a conhecer em edição bilíngue, enriquecida com prefácio de Ricardo Madruga da Costa.

Manuel Borges de Freitas Henriques (Santa Cruz das Flores, 1826). A barca baleeira Arnolda levou-o clandestinamente, em 1848, para a baleação de New Bedford, que foi, durante algum tempo, o seu modo de vida, tendo sido trancador e notável artista de scrimshaw, de que se destaca o retrato da pirata dinamarquesa Alvida, que se encontra no Museu dos Baleeiros, nas Lajes do Pico. A partir de 1852 passou a viver em Boston, onde se dedicou ao negócio da importação. Ter-se-á dedicado também à tipografia e à colaboração com periódicos da Nova Inglaterra. Vice-cônsul do Brasil e, depois, cônsul de Portugal em Boston, adquiriu um navio e tornou-se armador, em sociedade com o irmão Guilherme. O navio, uma escuna batizada Kate Williams, fez a sua primeira viagem à Horta em 1870. Para além da sua atividade comercial e de escrita, editou em 1865, a obra Testamento de D. Burro, Pai dos Asnos, do padre florentino José António Camões. Em 1867 é publicado o livro A Trip to the Azores or Western Islands. Há quem avente a hipótese de o livro ter como finalidade servir de guia turístico a comerciantes ou simples aventureiros que o autor estaria a pensar transportar regularmente entre Boston e os Açores. A 17 de outubro de 1873, com 47 anos, pôs termo à vida, em Boston.

Ana Monteiro, florentina nascida em 1979. Licenciada em Radiologia pela Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa (2002). Mestrado em Intervenção Sócio Organizacional na Saúde pela Universidade de Évora (2006). Licenciada em Estudos Europeus e Política Internacional pela Universidade dos Açores (2012). Ativista ambiental. Integrou a direção da Quercus – Núcleo de São Miguel entre 2008 e 2015 e colaborou em diversos processos consultivos na área do ambiente, quer com o governo dos Açores quer com iniciativas de cidadania. Membro da comissão consultiva do processo de alteração dos Planos de Ordenamento da Orla Costeira (POOC) da Costa Sul e Costa Norte de São Miguel desde abril de 2021. Autora de alguns textos em revistas regionais: Revista Atlantis Cup, Revista #grotta2, #grotta4, Revista Avenida Marginal n°2. Membro do Conselho Consultivo da Candidatura de Ponta Delgada|Açores a Capital Europeia da Cultura 2027 no grupo “Ambiente/ Espaço Público/ Ordenamento de Território / Paisagem / Património”.

Pub