Livro “Armando Côrtes-Rodrigues – Vida e Obra do Poeta Açoriano de Orpheu” foi apresentado em Vila Franca do Campo

A apresentação do livro “Armando Côrtes-Rodrigues – Vida e Obra do Poeta Açoriano de Orpheu”, da autoria da Doutora Anabela Almeida, teve lugaresta sexta-feira, no Salão Nobre dos Paços do Concelho de Vila Franca do Campo.

Na cerimónia, o Presidente da Câmara Municipal de Vila Franca do Campo, Ricardo Rodrigues, frisou a felicidade e o orgulho da Câmara Municipal em “trazer à luz uma figura Vila-franquense que nos honra a todos”.

“É um orgulho termos um Vila-franquense tão ilustre, que não é ainda tão reconhecido quanto espero que venha a ser futuramente”, disse o Autarca, deixando o desafio aos presentes de descobrirem mais de Armando Côrtes-Rodrigues.

Como as instituições públicas, caso da Autarquia, têm também o dever de contribuir para a divulgação “daqueles que deram a Vila Franca do Campo, à ilha, aos Açores e a Portugal uma visibilidade que se espera poder vir a ser cada vez mais reconhecida, Ricardo Rodrigues informou que, no dia anterior à apresentação da obra, chegou a resposta oficial do Governo Regional, que aceitou a proposta da Câmara Municipal de atribuir o nome de Armando Côrtes-Rodrigues à Escola Básica e Secundária de Vila Franca do Campo.

A apresentação da obra esteve então a cargo do Carlos Melo Bento, que a considerou “um livro fascinante, feliz súmula da tese de doutoramento de Anabela Almeida”.

“Esta obra constitui uma ampla janela para a nossa paisagem literária, clarificando definitivamente a figura de Pessoa, através da influência que, na obra de ambos, teve o micaelense de Vila Franca do Campo, Armando Côrtes-Rodrigues, cuja estatura cultural sai finalmente ajustada à sua imensa dimensão”, frisou.

Carlos Melo Bento fez, também, referência à importância de Violante de Cysneiros, o heterónimo feminino do ilustre poeta e etnólogo Vila-franquense.

Por sua vez, a autora da obra, Anabela Almeida, agradeceu aos presentes na apresentação do livro, muitos deles amigos que encontrou ao investigar Armando Côrtes-Rodrigues, para além do conhecimento que lhe trouxe da literatura açoriana.

O poeta também lhe trouxe uma irmã, no caso a própria filha, a dona Ernestina Rodrigues, confidenciou a autora, antes de falar sobre o processo de conhecimento da obra publicada do ilustre Vila-franquense.

“O livro que vos apresento, pretende ser, não um ponto de chegada, mas um ponto de partida para outros e novos estudos, para aprofundarmos a obra magistral de Armando Côrtes-Rodrigues”, afirmou.

Anabela Almeida terminou a sua intervenção com a leitura de um texto intitulado “A Minha Saudade”, que Armando Rocha publicou na revista “A Insulana”, em que prestou homenagem a Armando Côrtes-Rodrigues por altura do seu falecimento.

Antes da apresentação do livro, esteve patente, também nos Paços do Concelho, a mostra expositiva “Um apontamento sobre Armando Côrtes-Rodrigues”.