Pub

O líder regional do CDS-PP propôs este domingo que a idade da reforma nos Açores seja antecipada em três anos, tendo em conta a esperança média de vida no arquipélago, defendendo uma aposta na educação para a saúde.

No final de um passeio de bicicleta pela marginal de Ponta Delgada, no âmbito da campanha para as eleições legislativas regionais, Artur Lima referiu que as estatísticas indicam que os açorianos “vivem três anos menos do que um continental”, sublinhando, por isso, a necessidade de apostar mais na educação para a saúde e em programas que promovam estilos de vida saudáveis.

“Fazemos os nossos descontos todos até aos 65 anos, mas vivemos, também a partir dessa altura, menos três anos. Portanto, era de inteira justiça haver um fator de sustentabilidade próprio para a segurança social para aqueles que vivem nos Açores”, afirmou Artur Lima, que é também cabeça de lista dos centristas pelos círculos da Terceira e da compensação.

Para que no futuro os açorianos não tenham de beneficiar desta medida, o líder da estrutura regional do CDS defendeu que a população tem de ser mais saudável e, nesse sentido, lembrou que o partido tem no seu programa eleitoral propostas como o “reforço dos nutricionistas” nas escolas e nos centros de saúde, como forma de prevenção.

“Também temos uma das maiores taxas de prevalência da diabetes do país e a taxa de obesidade infantil também é a mais alta do país. Por isso temos de apostar na educação para a saúde e na prevenção”, acrescentou.

Na ação de campanha de hoje, Artur Lima esteve acompanhado pelo líder nacional do partido, Francisco Rodrigues dos Santos, e pelo cabeça de lista pelo círculo de São Miguel, Nuno Gomes, que sublinhou a necessidade de promover formas de mobilidade alternativas e mais suaves.

“Através da construção de uma rede de ciclovias, que deve ser articulada entre os diferentes municípios, para promover e melhorar a mobilidade dos cidadãos, mas também desenvolver estilos de vida mais saudáveis”, disse.

Nas últimas eleições legislativas regionais, em 2016, o CDS elegeu quatro dos 57 deputados do hemiciclo regional: dois pelo círculo da compensação, um pelo da Terceira e outro pelo de São Jorge.

As legislativas dos Açores decorrem no dia 25, com 13 forças políticas candidatas ao parlamento: PS, PSD, CDS-PP, BE, CDU, PPM, Iniciativa Liberal, Livre, PAN, Chega, Aliança, MPT e PCTP/MRPP. Estão inscritos para votar 228.999 eleitores.

No arquipélago, onde o PS governa há 24 anos, existe um círculo por cada uma das nove ilhas e um círculo de compensação, que reúne os votos não aproveitados para a eleição de parlamentares nos círculos de ilha.

Pub