Recordando que o antigo presidente do Governo dos Açores Vasco Cordeiro contou com a sua colaboração na Assembleia Legislativa na primeira fase da pandemia de covid-19, dando “o peito às balas”, Paulo Estevão pediu, na sequência de intervenções de deputados da oposição no parlamento açoriano, que o atual líder parlamentar socialista tome uma “posição contra a curva descontrolada para incendiar tudo”.

Salientando a “responsabilidade acrescida” de Vasco Cordeiro por ter liderado o executivo açoriano, Paulo Estêvão considerou que a postura de alguns deputados “não dignifica a autonomia” e que se está perante “discursos incendiários” onde grassa a “demagogia e o populismo mais baixo”.

O antigo presidente do Governo dos Açores, afirmou, “não pode ficar no seu cantinho, tendo que assumir responsabilidades”.

Na resposta, Vasco Cordeiro defendeu que “não se pode enveredar pelo caminho de suspender a democracia”, sendo um direito que assiste à oposição “opinar, questionar, discutir e criticar”.

Na sequência destas intervenções, no âmbito da apreciação de uma iniciativa do PSD que recomenda ao executivo um programa de recuperação económica e social específico para as freguesias de Ponta Garça e de Rabo de Peixe, o deputado Nuno Barata, da Iniciativa Liberal, lamentou que “mais uma vez” a pandemia de covid-19 fosse “tomada pelo combate político-partidário”.

Pelo PAN, Pedro Neves, considerou que a luta política “anulou por completo os problemas das freguesias” visadas na proposta.

A proposta do PSD hoje aprovada, por unanimidade, recomenda ao Governo Regional que “elabore e implemente um programa de recuperação económica e social específico para as freguesias de Ponta Garça e Vila de Rabo de Peixe, sujeitas a cercas sanitárias por razões de saúde pública, no âmbito das medidas de combate à pandemia de covid-19.

No diploma defende-se a criação de apoios sociais específicos e a majoração de outros existentes para as micro, pequenas e médias empresas e empresários em nome individual, cujas atividades tenham estado totalmente encerradas devido à implementação de cercas sanitárias em Ponta Garça e Rabo de Peixe.