Pub

O presidente do Governo dos Açores, José Manuel Bolieiro, defendeu hoje que o leite deve ser “cada vez mais” matéria para produtos de valor acrescentando e disse “odiar” quando se associa os agricultores à “subsidiodependência”.

“O leite pode ser um produto final, mas deve ser, reforçadamente, numa estratégia de futuro, com inovação e modernização, cada vez mais matéria-prima para produtos de valor acrescentado”, declarou.

O líder do executivo açoriano (PSD/CDS-PP/PPM) discursava hoje na inauguração das novas câmaras de cura e na apresentação de novos produtos da empresa Leite Montanha, nas Lajes do Pico.

José Manuel Bolieiro referiu que “qualquer subsidiação” para o setor agrícola tem de “acompanhar a estratégia” de “competitividade” e “solidariedade com o consumidor” e não promover uma “paupérrima distribuição de riqueza em toda a cadeia de valor”.

“Odeio quando se fala em matéria agrícola e do setor produtivo dos Açores, o setor primário, como sendo subsidiodependente. É injusto, quando se tem estratégia, manter esse anátema. É verdadeiramente uma subvenção pública a benefício de uma competitividade justa por sermos uma economia ultraperiférica”, afirmou.

Enaltecendo a “excelência” dos produtos açorianos, o social-democrata insistiu que a estratégia agrícola não pode passar pelo “baixo custo” em “toda a cadeia de valor”, seja na “produção, na transformação ou depois na comercialização”.

“Nessa cadeia de valor, não podem existir uns vassalos e uns suseranos. Tem de haver dignidade equivalente entre toda essa distribuição”, alertou.

Bolieiro reforçou a importância de “introduzir elementos modernizadores” que “catapultem o valor acrescentando do produto na sua comercialização”.

Os produtores de leite dos Açores têm apelado a um aumento do preço do litro de leite, alegando que a subida dos custos dos fatores de produção coloca dificuldades ao setor.

Pub