Pub

Lara Martinho, deputada do Partido Socialista dos Açores à Assembleia da República, salientou, esta quarta-feira, três fatores críticos de sucesso que irão ajudar a ultrapassar o “desafio colossal” provocado pela pandemia da COVID-19, considerando que “apenas juntos, poderemos vencer este desafio”.

Para a vice-presidente do GPPS, que intervinha no debate temático solicitado pelo Governo da República, no âmbito da “Visão Estratégica para o Plano de Recuperação Económica de Portugal 2020-2030”, há que definir, num primeiro momento, “para onde queremos ir”, felicitando desta forma o Primeiro-Ministro pela a abertura do futuro à sociedade, com a elaboração da Visão Estratégica pelo Prof Costa e Silva e com centenas de contributos de cidadãos, partidos políticos e parceiros sociais.

Para a socialista açoriana, e também a nível regional, o Governo dos Açores abriu o futuro à sociedade, ao criar a Agenda para o Relançamento Económico e Social, um documento com 250 medidas para dar resposta às especificidades regionais, o que irá permitir, de acordo com Lara Martinho, “uma visão global e integrada do que devem ser as apostas para os próximos anos”.

Na sua intervenção a parlamentar socialista destacou ainda o extraordinário resultado da negociação dos novos fundos comunitários, que constituiu, na sua opinião, outro dos fatores críticos de sucesso.

“No caso Açores, a abertura do Governo da República a um reforço substancial das verbas disponibilizadas, que são reforçadas em quase 100%, é um sinal claro não só da importância que o Senhor Primeiro-Ministro e o seu Governo têm dado às Autonomias, mas também ao papel que estas podem e devem ter na recuperação e no futuro do nosso país, no futuro das nossas regiões”, alertando ainda, nesta matéria, para a “gigantesca responsabilidade” de todos na utilização destas mesmas verbas.

Lara Martinho referiu ainda, como um terceiro fator, a questão da cooperação, sublinhando que hoje, mais do que nunca, esta se revela crucial, a nível internacional, mas em particular a nível nacional.

“Só com o envolvimento de todos, governo central, governos regionais, autarquias, empresas e instituições será possível concretizarmos esta visão e executarmos estes fundos. Só com esta visão de futuro, de confiança no papel das Autonomias podemos garantir que nenhuma região fica para trás”, afirmou a deputada do PS/Açores à Assembleia da República.

Pub