Lara Martinho adverte Governo para limpeza total da Base das Lajes

 

A deputada do PS Lara Martinho aproveitou ontem a presença do ministro dos Negócios Estrangeiros em sede de comissão parlamentar para questionar sobre o processo de descontaminação da ilha Terceira. A parlamentar insular defendeu a descontaminação total e pediu esclarecimentos sobre a situação dos trabalhadores portugueses da Base. Augusto Santos Silva tranquilizou-a reafirmando que não estão previstos despedimentos.

Durante a audição, Lara Martinho lembrou a reunião bilateral entre Portugal e os EUA, que vai ter lugar no próximo dia 23, e reforçou, como tem sido habitual ao longo desta legislatura, “para a premência do reforço das ações de descontaminação que permitam uma descontaminação total, de forma célere, transparente e pública, tendo sempre por base a saúde e segurança dos terceirenses, dos açorianos e a proteção e qualidade ambiental” da ilha.

A parlamentar terceirense questionou ainda sobre a trabalhadores portugueses na Base das Lajes, que, disse, têm demonstrado preocupação relativamente a possíveis despedimentos. “Pelo que que tenho conhecimento não existe nenhum indício de que tal possa ocorrer e, neste sentido, creio serem infundadas estas preocupações, mas gostaria de ver assegurado pelo senhor ministro esta questão de forma a tranquilizar os trabalhadores”.

Lara Martinho recordou, também, que foi aprovado em Conselho de Ministros a criação do Centro de Defesa do Atlântico nos Açores, cujo principal foco será o desenvolvimento de capacidades associadas à defesa no espaço Atlântico, focando-se também no domínio da segurança marítima, mas igualmente com um alcance nos domínios terrestre, aéreo e da ciberdefesa. “Há algum envolvimento dos EUA já assegurado para o Centro de Defesa do Atlântico? E se há indícios de que a reativação da segunda frota norte-americana possa ter impactos nos Açores?”, questionou.

Na resposta, o ministro não só revelou que já foram transferidas as infraestruturas americanas da Base das Lajes para os Açores, como reiterou que o objetivo da reunião bilateral é acompanhar os dossiers em aberto , nomeadamente sobre os efeitos ambientais.  “Não há nenhuma questão relativamente aos trabalhadores”, assegurou ainda. Sobre o Centro de Defesa do Atlântico asseverou que o Governo tem tentado captar o interesse dos EUA para este novo domínio de cooperação atlântica.