Lançamento do livro “A Viagem de Juno” de Almeida Maia a 23 de Março

Foto: Badana

No próximo dia 23, o escritor Almeida Maia lança o seu novo livro “A Viagem de Juno”, em Ponta Delgada. A apresentação estará a cargo de Frederico Cardigos, biólogo marinho actualmente a viver e a trabalhar em Bruxelas, como Coordenador do Gabinete de Representação da Região Autónoma dos Açores. A sessão decorrerá no auditório da Biblioteca Pública e Arquivo Regional de Ponta Delgada, às 16:30 horas.

Este é o terceiro livro de Almeida Maia editado pela editora Letras Lavadas, uma chancela pertencente à Nova Gráfica, empresa com sede em Ponta Delgada há 45 anos.

Depois de “Bom Tempo no Canal”, e de “Capítulo 41”, chegou a vez de “A Viagem de Juno” merecer o aplauso dos leitores e seguidores do autor em todo o país.

“A Viagem de Juno”, cuja acção se passa no futuro, mais precisamente no ano de 2049, vai despertar a atenção e interesse dos leitores de todas as idades pelos temas intrigantes que aborda. A base desta narrativa acidentada tem como ponto de partida a ciência do século XXI, como a criopreservação, ou a demanda de soluções para inverter os efeitos das alterações climáticas, cuja atualidade é já nossa conhecida.

Biografia do autor

Pedro Almeida Maia nasceu em 1979 na cidade de Ponta Delgada, é psicólogo, mestre em Psicologia do Trabalho, das Organizações e dos Recursos Humanos (WOP-P) pela Universidade de Coimbra e pela Universidade de Barcelona, e licenciado em Psicologia pela Universidade dos Açores.

Na área da Psicologia, é coautor na série de livros infantis “Vamos Sentir com o Necas”, que integra o Panorama Editorial de 2015 do Boletim do Núcleo Cultural da Horta e o Plano Regional de Leitura dos Açores.

Na escrita de ficção, é autor dos romances policiais “Bom Tempo no Canal: A Conspiração da Energia”, vencedor do prémio literário Letras em Movimento 2010, e “Capítulo 41: A Redescoberta da Atlântida”, que integra o Plano Regional de Leitura dos Açores. Escreveu também o drama “Nove Estações”, selecionado para a Mostra LabJovem 2014.

Na poesia, venceu o prémio Discover Azores 2014 com o poema “Vinhas e Epigeus” e publicou “A Escalada de um Manco” em 2017. Assinou crónicas dedicadas às artes, na rubrica “Pavilhão Auricular”, e à sátira, em “Cronicista”, tendo contribuído para os jornais Terra Nostra, Fazendo, Diário Insular, Correio dos Açores, Açoriano Oriental, Portuguese Times (EUA) e Mundo Lusíada (Brasil). No conto, escreveu “O Galheteiro de Prata”, selecionado para a Antologia de Contos 2018 do Centro de Estudos Mário Cláudio.

Sinopse: “A Viagem de Juno”

Aron Hilmarsson, um geólogo islandês, acorda em Moscovo no ano de 2049, após um período de criopreservação de mais de trinta anos. Durante a sua ausência, um acontecimento trágico acelerou o aquecimento global e fez subir o nível médio dos oceanos para níveis inesperados.

Numa era em que as alterações climáticas quase obrigam ao abandono da aviação civil, há interesses conflituosos entre organizações multinacionais, mas há um arquipélago de nove ilhas no meio do Atlântico que se consegue adaptar aos novos tempos, onde as pessoas se deslocam em rápidos comboios de levitação magnética, por túneis que atravessam os oceanos.

“A Viagem de Juno” encerra um exercício sensível sobre o que pode suceder ao planeta, e sobretudo aos oceanos, daqui por umas décadas, e encerra uma trama poderosa que tem como pano de fundo a ambição e a ganância desmedidas.

Partilha