Lagoa recebe primeiro encontro Regional e Nacional da Rede Territorial Portuguesa das Cidades Educadoras

O primeiro encontro Regional e Nacional da Rede Territorial Portuguesa das Cidades Educadoras do ano 2020 irá decorrer esta quinta e sexta-feira, dias 27 e 28 de fevereiro respetivamente, no Convento de Santo António, na cidade de Lagoa, numa organização da Câmara Municipal de Lagoa.

Num total de 134 inscrições, para ambos os Encontros, no dia 27 de fevereiro, o Encontro Regional da Rede Territorial Portuguesa das Cidades Educadoras (RTPCE), contará com a participação de 21 municípios que pertencem à Rede, nomeadamente: Albufeira; Almada; Angra do Heroísmo; Azambuja; Câmara de Lobos; Évora; Funchal; Horta; Lisboa; Miranda do Corvo; Odemira; Odivelas; Oeiras; Ponta Delgada; Santarém; Setúbal; Soure; Torres Vedras; Vila Nova de Famalicão; Vila Real e Fundão. Sendo que, outros municípios e entidades foram convidados e irão participar neste Encontro, mais especificamente, Câmara Municipal de Vila Franca do Campo; Câmara Municipal da Ribeira Grande; Câmara Municipal de Vizela; Núcleo de Ação Social de Lagoa; Creche das Furnas – Fundação Maria Isabel do Carmo Medeiros; Centro Socio Cultural de São Pedro; Escola Profissional de Lagoa; Centro de Desenvolvimento Infanto-Juvenil dos Açores; CPCJ Lagoa – (CML – Divisão de Ação Social) e Escola Secundária de Lagoa, num total de 82 participantes para este primeiro dia.

Por seu turno, o Encontro Nacional da Rede Territorial Portuguesa das Cidades Educadoras que irá decorrer esta sexta-feira, dia 28 de fevereiro, conta com um total de 123 participantes confirmados, sendo que, 41 municípios pertencem à RTPCE, mais precisamente: Águeda; Albufeira; Alcochete; Alenquer; Almada; Angra do Heroísmo; Azambuja; Câmara de Lobos; Cascais; Évora; Funchal; Fundão; Gondomar; Guimarães; Horta; Lagoa-Algarve; Lisboa; Loulé; Matosinhos; Miranda do Corvo; Odemira; Odivelas; Oeiras; Pampilhosa da Serra; Paredes; Ponta Delgada; Porto; Póvoa de Lanhoso; Rio Maior; Santa Maria da Feira; Santarém; Santo Tirso; Setúbal; Silves; Soure; Torres Vedras; Torres Novas; Valongo; Vila Nova de Famalicão; Vila Real; Viseu e Águeda.

Câmara Municipal de Vila Franca do Campo; Câmara Municipal da Ribeira Grande; Câmara Municipal de Vizela; Núcleo de Ação Social de Lagoa; Coleção Visitável da Matriz de Lagoa; Centro Sócio Cultural de São Pedro; Creche das Furnas – Fundação Maria Isabel do Carmo Medeiros; Escola Profissional de Lagoa; Centro de Desenvolvimento Infanto-Juvenil dos Açores; CPCJ Lagoa – (CML – Divisão de Ação Social) e Escola Secundária de Lagoa, foram os municípios ou entidades convidadas e que irão participar no Encontro Nacional da Rede Territorial Portuguesa das Cidades Educadoras.

De relembrar que, a primeira parte do programa do Encontro Nacional será subordinada ao tema Diversificar Aprendizagens – Investir na Educação Não Formal, seguindo-se, do mote o Desenvolvimento de Competências, sendo que, subordinado ao tema Cultura e Património – Núcleos do Museu de Lagoa,  todos os participantes terão a oportunidade de conhecer o convento de Santo António e a Coleção Visitável da igreja Matriz de Lagoa.

Já o Encontro Regional, em torno da temática Construir a Cidade Educadora, contará com duas sessões de apresentação de Boas Práticas, seguindo-se de uma visita ao Núcleo Museológico do Presépio, em que após a apresentação de diversos temas, por parte dos oradores convidados, o dia terminará com uma Tertúlia à volta do tema “Cidade Educadora”, com a presença dos vereadores da comissão de coordenação da Rede Territorial Portuguesa de Cidades Educadoras.

De ressalvar que, a Lagoa afirma-se, assim, como sendo uma Cidade Educadora que aposta na educação, e esta iniciativa pretende reforçar a proposta de Cidade Educadora, partilhando experiências e ideias educadoras entre os vários municípios e entidades presentes. Para a Câmara Municipal de Lagoa, estes encontros são uma mais-valia e uma verdadeira ferramenta de transformação social, através do envolvimento da comunidade nas decisões políticas e sociais, num exercício de uma cidadania ativa, reforçando assim a vivência democrática no concelho.