Lagoa inaugura projeto “Biblioteca de Rua”

Foi inaugurado, ontem, junto à Biblioteca Tomaz Borba Vieira, no convento de Santo António, o veículo que levará o projeto “Biblioteca na Rua” a todas as freguesias do concelho de Lagoa.

O projeto consiste na articulação dos planos de atividades das bibliotecas municipal e escolares e na criação de uma biblioteca móvel, instalada num veículo adaptado para o efeito, que transportará livros e periódicos, e que vai estar disponível a todos os lagoenses nas cinco freguesias do concelho.

Entre os objetivos desta iniciativa, que diversifica a oferta pública da biblioteca municipal, destacam-se o fortalecimento da relação entre a instituição e a comunidade, criando oportunidades de leitura de fruição, fora dos lugares habituais.

Na cerimónia, estiveram presentes a vereadora da Câmara Municipal de Lagoa na área da educação, Albertina Oliveira, os coordenadores das bibliotecas escolares de todas as escolas do concelho, o presidente da Junta de Freguesia de Santa Cruz, Sérgio Costa, e o presidente da Junta de Freguesia de Nossa Senhora do Rosário, Gilberto Borges.

Presente esteve, também, o padre da paróquia de Santa Cruz, Nuno Maiato, que batizou o veículo enaltecendo a iniciativa da Câmara Municipal de “ir ao encontro dos leitores”. “Que esta biblioteca na rua traga novas metas para as crianças do nosso concelho e que coisas boas como a leitura sejam viciantes”, referiu.

De acordo com a vereadora Albertina Oliveira, responsável pela área de educação e cultura, “este projeto, com o qual se procura desenvolver competências de leitura, criatividade e promoção cultural, embora centrado nas faixas etárias em idade escolar, orientar-se-á também para a população em geral, segundo o princípio da aprendizagem ao longo da vida, que constitui um dos pilares da política educativa da União Europeia, e que reforça as relações intergeracionais, promovendo o incremento da coesão social e o alargamento a novos públicos”.

A biblioteca móvel será, assim, instalada em cada uma das cinco freguesias do concelho, ao longo dos cinco dias úteis da semana.

O veículo disponibilizará o empréstimo de livros, requisitados, presencialmente, ou através do sistema informático da biblioteca, bem como periódicos de leitura rápida. Os locais de permanência da biblioteca móvel variarão ao longo do ano, privilegiando as zonas balneares na época estival.

Nesta cerimónia de inauguração, Albertina Oliveira destacou, ainda, o importante papel da Biblioteca Municipal Tomaz Borba Vieira, enquanto agente cultural privilegiado, acreditando que “a criação de uma unidade móvel, pela sua natureza dinâmica, informal e flexível, reunirá condições favoráveis para ampliar e apurar a ação da biblioteca municipal, constituindo, por isso, uma poderosa ferramenta para profundar o compromisso do município com a comunidade lagoense, motivando a participação, a expressão e a construção da identidade local, sobretudo entre as populações das freguesias periféricas do concelho”.

De referir que, a Biblioteca Municipal Tomaz Borba Vieira tem seguido um caminho de evolução e adaptação aos novos paradigmas. Tem desenvolvido várias iniciativas como a criação de áreas de leitura informal nas salas de leitura, o “Clube de Leitura” e a newsletter, que divulga todas as atividades da autarquia e promove a leitura.

Além disso, a biblioteca municipal reforçou a colaboração com as bibliotecas escolares do concelho, concedendo obras do Plano Nacional de Leitura para os seus acervos.

“A Câmara Municipal de Lagoa, ao implementar medidas e projetos desta natureza, pretende investir e contribuir positivamente para a educação e para a formação pessoal e social da sua população, dotando-a de conhecimentos e aptidões que são o veículo orientador de mudança social e comportamental dos nossos munícipes”, referiu Albertina Oliveira.

No final, foram dirigidos alguns agradecimentos, nomeadamente à Altice Portugal, através da Fundação PT, que apoiou este projeto cedendo um computador e acesso à internet, à Açormédia e ao Correio dos Açores, pela assinatura dos jornais que vão estar disponíveis para leitura na biblioteca de rua, e à empresa Autocentral e a todos os seus colaboradores, por todo o trabalho, esforço e dedicação ao projeto. Agradeceu, ainda, ao coordenador da Educação e Cultura e aos colaboradores da Câmara Municipal que estiveram envolvidos no projeto, com destaque para os da Biblioteca Municipal, “que deram o seu melhor na concretização deste projeto de promover o livro e a leitura, e recuperar, em certa medida, a importante função que foi desempenhada no passado pelas bibliotecas itinerantes da Fundação Calouste Gulbenkian”.