Júlio Resende e Salvador Sobral cantam Pessoa em Angra

E se um dia alguém lhe mostrasse que o grande Pessoa também cantou o amor em inglês? E que dois dos nomes mais irreverentes do panorama artístico português dão vida a alguns desses poemas, com mais de cem anos, com música atual?

Depois de outros grandes nomes do panorama musical português como António Zambujo ou o Maestro Rui Massena, é agora a vez de Júlio Resende e de Salvador Sobral pisarem o palco do Grande Auditório do CCCAH no âmbito da iniciativa Angra ComVida. Um concerto que não vai querer perder e que acontece a 12 de janeiro, pelas 21h30.

Resende, o pianista e compositor que conquistou o público e a crítica como um dos nomes mais promissores do Jazz português e que teve a ousadia de introduzir o piano no Fado, e Salvador Sobral, o grande vencedor do Festival Eurovisão da Canção 2017, com a mais elevada pontuação de sempre do certame, trazem a Angra do Heroísmo o seu projecto musical conjunto que tem percorrido, com sucesso, todo o país. Trata-se da banda Alexander Search, baptizada com o nome do heterónimo de Fernando Pessoa enquano autor de poesia na língua inglesa.

Os dois artistas querem assim apresentar ao público a Poesia Inglesa de Fernando Pessoa. Para tal Júlio Resende criou uma utopia: um projecto de canções Pop inspirado nos poemas escritos por Fernando Pessoa, em inglês, durante a sua adolescência na África do Sul.

Júlio Resende compôs e convidou Salvador Sobral a dar voz às canções que criou a partir de poemas com mais de 100 anos. Canções precisam de ser cantadas, como os poemas com mais de 100 anos precisam de ser ditos, porque é difícil pensar algo mais vivo do que alguém que ainda canta- explicam os artistas.

“Esta é uma receita de sucesso que mistura a poesia do grande Pessoa, sem dúvida um dos mais carismáticos escritores portugueses, numa vertente que nem todos conhecem, na pele do seu heterónimo inglês, com o talento e a visão de dois dos maiores nomes da cena musical actual. Maior significado tem este espetáculo, considerando que Fernando Pessoa, filho de uma angrense, passou por Angra do Heroísmo durante a sua infância, numa das poucas viagens que realizou. Orgulhamo-nos, por isso, de contar com um evento com esta qualidade e significado no arranque do Angra Com Vida de 2019.” – referiu, a propósito, o Vereador Guido Teles, responsável pelo pelouro da Cultura.