JS/Ponta Delgada promove ‘Agenda do Jovem Agricultor’ com enfoque no setor leiteiro

Arrancou, no passado dia 19 de agosto, a “Agenda do Jovem Agricultor” – um roteiro organizado pela Juventude Socialista de Ponta Delgada que pretende auscultar os jovens empresários do setor agrícola. A primeira fase desta série de visitas visou o setor leiteiro, tendo sido desenvolvidos, durante três dias, contactos com diversas explorações e uma unidade industrial.

“Com esta agenda, os jovens socialistas pretendem estar no terreno a ouvir, a falar com quem trabalha diretamente no setor e a perceber quais são as reais necessidades e preocupações de um dos setores estratégicos e centrais da economia Açoriana”, afirma Vílson Ponte Gomes, Secretário Coordenador Concelhio.

Os Açores têm atualmente a população agrícola mais jovem do país, o que demonstra bem a garantia futura de renovação do setor, bem como a capacidade de atração que a agricultura regional tem para as novas gerações.

“Contactamos com jovens produtores de leite que espelham bem o espírito de iniciativa e empreendedorismo da fileira do leite nos Açores. Visitamos exemplos de como os investimentos, que os agricultores têm feito ao nível da modernização das explorações, têm trazido ótimas condições para produzir mais e ainda melhor leite, trabalhando a agricultura de uma forma mais moderna e mais adaptada aos tempos.

“A atividade agrícola exige dedicação permanente. É um trabalho que não escolhe horas do dia, nem dias da semana. Estivemos no campo, a ouvir os jovens produtores de leite que, diariamente, encaram, com resiliência e determinação, diversas preocupações”.

O Secretário Coordenador Concelhio frisou, ainda, o contributo que as indústrias têm dado para aumentar a transformação do leite em produtos de valor acrescentado, bem como para aumentar a notoriedade da Marca Açores junto dos principais mercados.

Vílson Ponte Gomes finalizou referindo que ser importante “que os consumidores Açorianos consumam o que é nosso, não apenas pelas qualidades inerentes dos nossos produtos, mas também como forma de aumentar a criação de riqueza e de postos de trabalho ao longo de toda a fileira de produção”.