Pub

O Presidente da Câmara Municipal de Ponta Delgada, José Manuel Bolieiro, apelou, ontem, ao desenvolvimento e prática de uma “cultura de convivência pela diferença”.

Perante uma sala repleta, na sua maioria imigrantes, o edil salientou a importância de acolher bem os imigrantes e de se desenvolver em cada pessoa o “espírito humanitário, de solidariedade e de acolhimento” com vista à promoção da igualdade e à integração.

“Queremos que as pessoas sejam humanas, no sentido humanitário e solidário. Queremos que os humanos se sintam integrados numa cultura civilizacional que lhes dê a categoria de pessoa”, refletiu José Manuel Bolieiro.

Um trabalho que tem sido promovido pela Associação dos Imigrantes nos Açores (AIPA), congratulou-se o Presidente, deixando uma palavra de gratidão a todos os que têm ao longo destes anos colaborado nesta missão de acolhimento, reforma de mentalidades e até “solução humanitária”.

Como a cultura de convivência pela diferença também se faz através da degustação, a  AIPA promoveu ontem em Ponta Delgada a segunda edição do evento “Paladares do Mundo”, desta feita dedicado ao Brasil.

“Há duas palavras que eu, na verdade, abomino e que têm o prefixo ´pre`: preocupação: quando passamos a vida preocupados perdemos tempo para a ocupação, que é um ganho ganho de vida; e preconceito: os conceitos são essenciais para termos referência de atitude e de postura, e os preconceitos são um desastre para  a integração e para a compreensão dos outros. Que esta degustação elimine estes prefixos e a gente viva ocupados com o bem fazer e com conceitos assentes nos bons princípios e valores”, rematou o Presidente da Câmara Municipal de Ponta Delgada.

Pub