Jornalista Mário Augusto apresenta nos Açores livro que retrata emigração açoriana para o Havai

O jornalista Mário Augusto apresenta na quinta-feira, em Ponta Delgada, nos Açores, o livro “Mandem Saudades”, que conta a história da emigração açoriana e madeirense para o Havai, do final do século XIX até 1913, foi hoje anunciado.

Segundo a Direção Regional das Comunidades, que promove o lançamento do livro, a sessão inclui ainda a apresentação de um documentário sobre os portugueses no Havai, também da autoria de Mário Augusto, e é promovida em parceria com a Fundação Francisco Manuel dos Santos e com a Junta de Freguesia de Santa Clara, com entrada livre para o público.

Numa nota hoje divulgada, a Direção Regional das Comunidades explica que o livro e o documentário contam a história dos portugueses, especialmente provenientes dos Açores e da Madeira, que “fizeram a longa rota de emigração para o arquipélago do Havai, localizado no meio do Oceano Pacífico, do final do século XIX até 1913”.

Estima-se que durante aquele período, cerca de 27 mil portugueses emigraram para o arquipélago do Havai, onde trabalharam nos campos de canas-de-açúcar, café, batata doce e fruta.

A Direção Regional das Comunidades sublinha que “a presença e as tradições portuguesas, algumas delas com origem nos Açores, são ainda hoje visíveis no quotidiano da sociedade havaiana”, com a existência de instituições como a Portuguese Association of Maui, a Irmandade do Espírito Santo de Punchbowl ou a Portuguese Genealogical & Historical Society of Hawaii.

Segundo o executivo açoriano (PSD/CDS-PP/PPM), reside atualmente no estado norte-americano do Havai “uma considerável comunidade de descendentes açorianos, que ainda preserva as suas tradições” na gastronomia ou na religiosidade, com o culto ao Divino Espírito Santo.

O livro “Mandem Saudades”, da autoria do jornalista Mário Augusto, é lançado quinta-feira pelas 18:00 locais (19:00 em Lisboa), no auditório da Freguesia de Santa Clara, no concelho de Ponta Delgada, ilha de São Miguel.

Além de Mário Augusto, marcam presença nesta sessão o diretor institucional e do arquivo da RTP, José Maria Lopes de Araújo, autor do prefácio, que fará a apresentação da obra, e o diretor regional das Comunidades, José Andrade.

Pub