Jorge Medeiros defende que “os Açorianos devem ser inequívocos beneficiários do valor da exploração do Mar”

O candidato a deputado pelo Partido Aliança Açores, Jorge Medeiros, escolheu o momento simbólico estar a visitar a ilha das Flores, território mais ocidental da Europa e, ao mesmo tempo, aquele que se encontra mais próximo do continente americano para dedicar as suas declarações públicas ao Mar, esse enorme espaço que tem os Açores no seu centro.

“No desempenho das minhas funções parlamentares, dedicarei uma atenção muito especial ao Mar em geral, particularmente à problemática da sua gestão partilhada, na defesa dos interesses dos Açores, os quais devem ser considerados activamente em todas as decisões sobre gestão, preservação e exploração do seu potencial.”

Para Jorge Medeiros, ”A ligação dos açorianos ao mar é real e particularmente genuína. Nele espelham e constroem a sua cultura, o seu saber e paixões e mais atualmente o seu contributo para o desenvolvimento e o conhecimento científico. O ambiente marinho submerso que circunda as nossas ilhas é de grande interesse biológico e geológico, com um considerável interesse científico, tecnológico e económico.”

O candidato do Partido Aliança, sublinha que “o Mar é o maior ativo natural estratégico açoriano e português que está subaproveitado”, acrescentando que o partido ALIANÇA Açores “defende e bater-se-á por uma nova abordagem política, económica e ambiental, que o encare como centro de produtividade, com aproveitamento estratégico de todas as suas potencialidades.”.

Jorge Medeiros, não tem dúvidas que, sendo eleito, estará “na primeira linha da defesa dos Açorianos como inequívocos beneficiários do valor gerado pela exploração dos ricos recursos do nosso Mar”.

Os desafios decorrentes da dimensão dos espaços marítimos, bem como do alargamento da soberania aos fundos marinhos da plataforma continental, levam à necessidade de se possuírem e empregarem múltiplas capacidades que permitam afirmar a autoridade, exercer as responsabilidades decorrentes de compromissos internacionais e garantir a utilização racional dos recursos marinhos.

O partido ALIANÇA Açores propõe que, no contexto de uma política para o Mar, que o preserve e proteja, mas também que o valorize e o aproveite estrategicamente, “a exploração dos recursos marinhos existentes na ZEE dos Açores seja feita, no pleno

respeito pelo ambiente; uma aposta clara nas novas tecnologias e nas sinergias entre a Universidade dos Açores, Centros de Investigação e Observatórios de Ciência; investimento nas infraestruturas necessárias para que a Força Aérea, Marinha e Guarda Nacional Republicana possam desempenhar as suas funções de vigilância e fiscalização dessa extensa plataforma continental; o respeito pelas tradições seculares dos Açorianos; a adopção de um modelo diverso, criativo e sem preconceitos da divulgação da cultura açoriana relativamente ao Mar.”