“Joker” lidera nomeações aos Óscares com três adversários no encalce

O filme “Joker”, de Todd Phillips, lidera as nomeações aos Óscares, com 11 no total, seguindo-se, com 10 cada, “O Irlandês”, de Martin Scorsese, “1917”, de Sam Mendes, e “Era Uma Vez… Em Hollywood”, de Quentin Tarantino.

O anúncio de hoje, que colocou de fora da lista de nomeados a Melhor Curta-Metragem de Animação “Tio Tomás, A Contabilidade dos Dias”, de Regina Pessoa, confirmou a forte campanha do sul-coreano “Parasitas”, de Bong Joon-Ho, que recebeu seis nomeações, incluindo para Melhor Filme, Realização, Argumento Original e Melhor Filme Internacional.

Apesar de “Tio Tomás” não ter sido nomeado e de “A Herdade”, de Tiago Guedes, nem sequer ter chegado à fase final da competição pela nomeação, há pelo menos dois portugueses na equipa do filme de animação “Klaus”, nomeado na categoria das longas-metragens: Sérgio Martins e Edgar Martins.

Os concorrentes lusófonos são encabeçados por “Democracia em Vertigem”, produção da Netflix realizada por Petra Costa, sobre a mudança política no Brasil e o processo de destituição da Presidente Dilma Rousseff, que fez parte da programação do festival IndieLisboa, em 2019.

Nos documentários, “Democracia em Vertigem” compete com “American Factory”, de Steven Bognar e Julia Reichert, “Honeyland”, de Tamara Kotevska e Ljubomir Stefanov, e com dois filmes sobre a Síria: “The Cave”, de Feras Fayyad, e “For Sama”, de Waad al-Kateab e Edward Watts.

A lista dos nove candidatos ao prémio de Melhor Filme é composta por “Le Mans’66: O Duelo”, de James Mangold, “O Irlandês”, “Jojo Rabbit”, de Taika Waititi, “Joker”, “Mulherzinhas”, de Greta Gerwig, “Marriage Story”, de Noah Baumbach, “1917”, de Sam Mendes, “Era uma vez… em Hollywood” e “Parasitas”.

A melhor realização, para além de Joon-Ho, é completada por Martin Scorsese, Todd Phillips, Sam Mendes e Quentin Tarantino.

Já no domínio da categoria de melhor Filme Internacional (antigamente designado Melhor Filme Estrangeiro), os nomeados foram o polaco “Corpus Christi — A Redenção”, de Jan Komasa, o norte-macedónio “Honeyland”, o francês “Os Miseráveis”, de Ladj Ly, “Dor e Glória”, do espanhol Pedro Almodóvar, e “Parasitas”.

Para melhor ator principal, foram nomeados Antonio Banderas (“Dor e Glória”), Joaquin Phoenix (“Joker”), Leonardo DiCaprio (“Era Uma Vez… em Hollywood”), Adam Driver (“Marriage Story”) e Jonathan Pryce (“Dois Papas”).

A lista das melhores atrizes principais é constituída por Cynthia Erivo (“Harriet”), Scarlett Johansson (“Marriage Story”), Saoirse Ronan (“Mulherzinhas”), Charlize Theron (“Bombshell — O Escândalo”) e Renée Zellweger (“Judy”).

Nos papéis secundários femininos, surgem Kathy Bates (“O Caso de Richard Jewell”), Laura Dern (“Marriage Story”), Scarlett Johansson (“Jojo Rabbit”), Florence Pugh (“Mulherzinhas”) e Margot Robbie (“Bombshell”).

Na categoria de melhor ator secundário, os nomeados são Tom Hanks (“Um Amigo Extraordinário”), Anthony Hopkins (“Dois Papas”), Al Pacino e Joe Pesci (“O Irlandês”) e Brad Pitt (“Era Uma Vez… em Hollywood”).

A cerimónia dos Óscares acontecerá a 09 de fevereiro em Los Angeles, Califórnia, e não terá um apresentador anfitrião, repetindo-se o que aconteceu em 2019.