Jogadores vão testemunhar por videoconferência

O coletivo de juízes que está a julgar o processo do ataque à academia de Alcochete, no Tribunal de Monsanto, decidiu hoje que os jogadores do Sporting testemunhem por videoconferência, disseram advogados do processo à agência Lusa.

O Sporting, na qualidade de assistente do processo da invasão à academia de Alcochete, tinha pedido que oito dos futebolistas que ainda se mantêm no atual plantel fossem inquiridos através de videoconferência, invocando razões de ordem psicológica.

Miguel Moutinho, advogado do Sporting, apresentou um requerimento para que as inquirições aos oito jogadores, que começam a testemunhar na segunda-feira, fossem feitas por videoconferência, para “os proteger das pressões da sala de audiências, onde se encontram os arguidos”.