João Ponte anuncia novo concurso do VITIS este ano no valor de 4ME

O Secretário Regional da Agricultura e Florestas anunciou hoje, na Horta, que vai ser aberto, ainda este ano, um novo concurso no âmbito do Programa de Apoio à Reconversão e Reestruturação da Vinha no valor de quatro milhões, para continuar a aprofundar o desenvolvimento deste setor, que tem contribuído para gerar riqueza, postos de trabalho e para o progresso dos Açores.

“Para responder ao desafio de vários parceiros do setor, será iniciado um processo de auscultação do programa VITIS em relação ao nível dos apoios, critérios de ponderação das candidaturas e das obrigações dos beneficiários, por forma a melhorar o regime de apoios, numa perspetiva de assegurar a sustentabilidade da atividade vitivinícola no futuro”, afirmou João Ponte.

O governante falava na abertura da sessão plenária da Assembleia das Regiões Europeias Vitícolas (AREV), que decorre pela primeira vez nos Açores, reunindo representações de várias regiões europeias produtoras de vinho.

Na sua intervenção, salientou que a realização do evento nos Açores é “uma boa oportunidade” para dar a conhecer as potencialidade e especificidades açorianas, mas também para “partilhar experiências e refletir sobre os desafios comuns no que à vinha e ao vinho diz respeito”.

João Ponte destacou que o VITIS já permitiu reconverter nos Açores cerca de 800 hectares de vinha, através de um investimento de 21 milhões de euros.

“Deste investimento, a sua quase totalidade foi concretizada na ilha do Pico, fazendo com que esta atividade venha a ter, dentro de poucos anos, um peso relevante ao nível da economia local, essencial para gerar riqueza, postos de trabalho e contribuir para o progresso da Região”, referiu.

O Secretário Regional salientou que os números ilustram bem a trajetória de sucesso, já que, em 2018, a produção de vinho apto a ser certificado atingiu 450 mil litros, representando a maior produção de vinho a ser certificado de sempre, e estima-se que, em dois anos, a quantidade de vinho apto a ser certificado ultrapasse um milhão de litros.

Para João Ponte, o potencial económico deste setor não se esgota nas receitas provenientes da venda de vinho, lembrando que, no caso particular da ilha do Pico, o Enoturismo é um fator imprescindível de atração turística.

O Secretário Regional apelou aos participantes neste evento da AREV para uma união de esforços, frisando que o sucesso da vinha e do vinho vai continuar a exigir de quem produz, de quem transforma e de quem define o rumo do setor muita dedicação, inovação e empreendedorismo.

“Individualmente somos pequenos para enfrentar o que temos pela frente, mas, se trabalharmos juntos, ganhamos outro peso e capacidade de influenciar as decisões, por isso a união é fundamental”, afirmou João Ponte.

O governante identificou vários desafios importantes pela frente, desde logo a futura Política Agrícola Comum (PAC) 2021 – 2027, com implicações diretas no setor da vitivinicultura, tendo o Governo dos Açores anunciado que será necessário garantir apoios para novas plantações de vinha, algo muito importante uma vez que se trata de áreas que não são abrangidas para o apoio do VITIS, bem como a defesa das Denominações de Origem e Identificação Geográfica, de forma a garantir a autenticidade dos vinhos açorianos, e a utilização de rotulagem como instrumento de defesa dos vinhos e dos ‘terroir’ são outras preocupações manifestadas.

O programa da AREV será quinta-feira integralmente dedicado à ilha do Pico, começando com uma visita às curraletas na zona da Criação Velha, na Madalena, classificada pela UNESCO como Património Mundial da Humanidade, seguindo-se uma passagem pelo Museu do Vinho, Adega A Buraca, Cooperativa Vitivinícola da Ilha do Pico e Centro Interpretativo da Vinha, onde terá lugar uma degustação de vinhos dos Açores com a presença de produtores de vinho certificado do Pico e entidades locais.