Pub

Na quinta e última prova da Taça de XCO de S. Miguel, João Pedro de Medeiros, da Bike Mais, voltou a ser mais forte subiu ao lugar mais alto do pódio.

A quinta e última prova da Taça de XCO de S. Miguel realizou-se ontem no circuito da Cancela do Cinzeiro, em Nordeste.

Numa manhã de domingo em que, apesar das previsões, a meteorologia acabou por ajudar as mais de quatro dezenas de atletas que se apresentaram à partida, a expectativa era muita uma vez que muito havia por decidir, nos vários escalões, no que aos vencedores do troféu dizia respeito.

Assim sendo, assistiu-se a uma corrida, nas várias categorias, bastante intensa, na qual a incerteza manteve-se praticamente até à linha de meta.

Na classe principal – Elites – a primeira nota vai para Filipe Lopes. O atleta do CD Metralhas assumiu o protagonismo nas primeiras quatro voltas, liderando a prova, mostrando um potencial que é reconhecido por todos, mas que tem vindo a ser aprimorado com o trabalho que tem vindo a ser realizado semanalmente.

Na peugada de Lopes, surgiam João Pedro de Medeiros, David Morais e mais atrás – naquele que foi um início de corrida difícil – Milton Resendes.

Medeiros e Resendes “marcavam-se” tendo por base as contas da Taça, enquanto David Morais mostrava, depois de um começo de temporada complicado, uma frescura assinalável fazendo adivinhar que poderia lutar pelo triunfo.

À entrada da quinta volta, contudo, e de forma algo natural, João Pedro de Medeiros passou para a liderança, posição que não haveria de largar até final.

Com três vitórias nas primeiras quatro corridas, Medeiros caminhava para o seu primeiro título no escalão de Elites, confirmando-se como um valor mais que seguro do ciclismo açoriano. Nem mesmo quando David Morais atacou, a duas voltas do final, Medeiros “perdeu o norte”, sabendo controlar o ataque até que saiu definitivamente para um triunfo, mais uma vez, isolado e incontestado.

No entanto, a última volta teve ainda história para contar. Milton Resendes na segunda metade da corrida encontrou o seu ritmo e foi atrás do melhor resultado possível, acabando por alcançar David Morais e ultrapassá-lo, acabando a sprintar na recta final para o segundo posto, deixando Morais com o terceiro lugar do pódio.

Em Master-30, também houve lugar para uma corrida muito animada, com André Lima e Fernando Soares a serem protagonistas de um duelo que se manteve até à última volta.

Lima liderou na maior parte do tempo, mas Soares voltou a ser mais forte no final. O ciclista do Operário manteve a mesma cadência em toda a prova e aproveitou o desgaste acumulado pelo seu adversário da Bike Mais para somar novo triunfo, embora desta feita mais suado face a anteriores corridas. Na terceira posição ficou Mário Miguens do Marítimo.

Em Master-40, Lourenço Cymbron voltou a ser rei e senhor – como aconteceu em toda a Taça – deixando Roberto Melo e Jorge da Silva nas restantes posições do pódio.

Em Master-50, Fernando Couto venceu, com João Paulo Amaral a ser segundo e Rui Torres terceiro, enquanto nos Juniores Romeu Sousa somou mais uma vitória num troféu que dominou e no qual só não venceu na Batalha, corrida em que sofreu uma avaria na sua montada. Neste escalão, na Cancela do Cinzeiro, Rodrigo Costa foi segundo e Ricardo Silva terceiro.

Na Promoção, Sancho Eiró mostrou superioridade, deixando nas posições seguintes Pedro Faria e Bruno Cristovão.

Por Equipas, vitória para a Bike Mais, seguida pelo Marítimo e Clube Desportivo Operário da Lagoa.

Agora, todas as atenções do XC concentram-se no Campeonato Regional da especialidade que se realiza, já no próximo fim-de-semana, na ilha do Faial.

Será então altura de encontrar os campeões regionais, numa competição que se espera espectacular, ou não reunisse os melhores valores de cada uma das associações do Arquipélago.

 

Pub