João Henriques diz que Santa Clara vai a Chaves para somar “três pontos fundamentais”

O treinador do Santa Clara, João Henriques, afirmou este sábado que o clube açoriano pretende conquistar “três pontos fundamentais” no recinto do D. Chaves, no domingo, em jogo da 24.ª jornada da Liga NOS.

“O objetivo são sempre os três pontos, sabemos que é um adversário que está a precisar muito de fazer pontos, mas nós também queremos resolver a nossa vida e estes três pontos são também fundamentais para nós”, disse João Henriques, em conferência de imprensa, no Estádio de São Miguel.

O técnico dos encarnados de Ponta Delgada assegurou que a equipa está “focada” em somar 33 pontos para “manter ou aumentar a distância” das equipas que estão “abaixo da linha de água” e alcançar uma “situação de conforto para o restante campeonato”.

“Temos vários objetivos para este jogo, mas o principal são os três pontos para nós aguardarmos os últimos 10 jogos de uma forma tranquila, para podermos jogar sem o peso dos pontos em cima, sem a pressão de termos de realizar pontos em todos os jogos e fazer um restante campeonato com qualidade em termos individuais e coletiva”, sublinhou.

João Henriques reconheceu que apesar da fase menos positiva da equipa, o Desportivo de Chaves é uma equipa com qualidade e que por isso os insulares ” têm de ter cuidado”.

“O Chaves é uma equipa a precisar muito dos pontos, que tem estado nesta fase do campeonato com novo treinador a somar alguns pontos, a tentar sair desesperadamente daquela zona da tabela classificativa que ninguém gosta de estar”, referiu.

O técnico considerou que os transmontanos “têm valores individuais e coletivamente são uma equipa que está organizada e que em casa tem feito bons jogos independentemente do último [em que perdeu por 4-0 com o Benfica]”.

Thiago Santana, Anderson Carvalho e Osama Rashid vão ficar de fora, por estarem lesionados, enquanto Pineda está em dúvida, depois de ter sido substituído por lesão no último jogo em casa com o Nacional [vitória por 2-0].

O Santa Clara, oitavo classificado com 30 pontos, defronta o Desportivo de Chaves, 17.º e penúltimo classificado com 19, no domingo, às 15:00, no Estádio Municipal Eng.º Manuel Branco Teixeira, em Chaves.

Tiago Fernandes vê receção ao Santa Clara como “importante mas jamais decisiva”

O treinador do Desportivo de Chaves, Tiago Fernandes, destacou hoje que a receção ao Santa Clara, no domingo, para a 24.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol, é “importante mas jamais decisiva” para a manutenção.

“Sabemos o que temos de fazer até ao final do campeonato, que é somar pontos e o próximo jogo é importante, mas não será decisivo”, realçou o técnico na conferência de antevisão à partida frente ao Santa Clara, oitavo colocado da I Liga, com 30 pontos, no domingo, às 15:00.

Tiago Fernandes garantiu ainda que a sua equipa, que ocupa o 17.º e penúltimo lugar com 19 pontos, sabe o que tem de fazer para vencer os açorianos esperando ver corrigidos os aspetos “menos bons” do último jogo em casa, no empate frente ao Boavista (1-1).

Sem qualquer baixa por lesão, o treinador do emblema de Trás-os-Montes, que não divulgou a lista de convocados, considerou ser “importante” ter todos à disposição, desejando que os ‘flavienses’ tenham “uma entrada forte” no jogo.

“Espero uma equipa determinada, com a convicção de querermos vencer e somar pontos, e é isso que vamos fazer com todo o plantel à disposição, dando uma boa resposta perante o nosso público”, destacou.

O técnico acrescentou que espera uma “resposta anímica, agressiva e competitiva” e que os seus jogadores estão “confiantes” e a trabalharem como equipa.

O Santa Clara, que somou dois triunfos nos últimos dois jogos, tem mais pontos somados fora, 17 pontos em 11 partidas, do que nos Açores, onde soma 13 pontos em 12 jogos, o que deixa Tiago Fernandes “alerta” para uma equipa que está a realizar “um bom campeonato”.

“É uma equipa com ideia de jogo e personalidade bem vincada e é talvez uma das equipas mais fortes nas bolas paradas”, vincou.

Os transmontanos trabalharam “todos esses lances” e analisaram “todas as virtudes do adversário” para evitar surpresas.

“Estamos preparados para que os jogadores correspondam com uma boa atitude em campo e mostrarem que queremos vencer o encontro”, garantiu.

O conjunto de Chaves voltou a promoveu no segundo jogo consecutivo em casa a presença de mais adeptos no estádio, permitindo que cada sócio possa ser acompanhado de três pessoas, a cinco euros cada.

Para Tiago Fernandes, o apoio dos adeptos “é extramente importante”, realçando que ao longo da época têm estado sempre presentes e que cabe ao plantel fazer o seu trabalho em campo.

O Desportivo de Chaves, 17.º e penúltimo classificado com 19 pontos, defronta o Santa Clara, oitavo com 30 pontos, no domingo, às 15:00, para a 24.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol, no Estádio Municipal Eng.º Manuel Branco Teixeira, em Chaves.

Marcel Keizer garante equipa imune a semana agitada no Sporting

O treinador do Sporting, Marcel Keizer, assegurou hoje que a equipa passou ao lado das últimas polémicas no clube e que pensa exclusivamente na receção ao Portimonense, no domingo, para a 24.ª jornada da I Liga de futebol.

Na conferência de imprensa, em Alcochete, o técnico dos ‘leões’ evitou comentar as dificuldades financeiras assumidas pela direção de Frederico Varandas durante a semana, bem como a expulsão de sócio do ex-presidente Bruno de Carvalho, destituído da presidência em 23 de junho de 2018.

“A equipa pensa apenas em futebol, falam de futebol e amam futebol. Este é o trabalho deles e nós confiamos em todos no clube que tratam de outros assuntos”, afirmou o treinador holandês, mantendo a convicção num plantel forte para o futuro: “Queremos sempre que os bons jogadores fiquem no clube e fazer uma equipa mais forte para a próxima época, mas ainda estamos nesta temporada e há muito para jogar”.

Esta foi a primeira semana em muito tempo que a equipa teve oportunidade de treinar para apenas um jogo, sem ter competição a meio da semana, e Marcel Keizer mostrou-se confiante de que a menor carga competitiva vai ter um efeito positivo no rendimento dos jogadores diante dos algarvios.

“A nível físico foi positivo para os jogadores ter mais descanso. Treinámos mais esta semana e isso foi bom para nós. Pudemos trabalhar alguns aspetos táticos durante mais tempo e será eventualmente benéfico para a equipa. Após uns 24 jogos em três meses é bom ter uma semana normal de treino. Vamos estar mais frescos e poderemos fazer melhor o nosso trabalho”, explicou.

O Sporting recebe nesta ronda um Portimonense em acentuada quebra de rendimento. O conjunto orientado por António Folha, que venceu os ‘leões’ por 4-2 na primeira volta, somou quatro derrotas e um empate nos últimos cinco desafios, mas o técnico ‘leonino’ vincou a expectativa de um embate complicado no Estádio José Alvalade.

“Respeitamos todos os adversários. Talvez não tenham vencido os últimos jogos, mas têm bons jogadores e vão tentar conseguir um resultado positivo. Nós vamos tentar fazer o mesmo, temos de ter uma boa energia para o jogo e estamos aqui para ganhar. O Sporting vive de vitórias e vamos ver quão alto conseguimos chegar”.

Já sobre o clássico desta jornada, que opõe o líder FC Porto ao ‘vice’ Benfica no Estádio do Dragão, no Porto, Keizer não se quis alongar em comentários e sublinhou apenas a vontade assistir a “um bom jogo” pela televisão.

O jogo entre o Sporting, quarto classificado, com 46 pontos, e o Portimonense, décimo, com 28, referente à 24ª jornada da I Liga de futebol, está marcado para domingo, às 20:00, no Estádio José Alvalade, em Lisboa.

Folha diz que Portimonense visita Sporting ” com ambição” de pontuar

O treinador António Folha disse hoje que o Portimonense visita o Sporting “com ambição, confiança e motivação de fazer um bom jogo e pontos”, no domingo, no encontro da 24.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol.

“Não temos conseguido fazer ultimamente boas exibições, mas da história vivem os museus. No entanto, sinto que a equipa está a crescer novamente, e vamos [a Lisboa] com o intuito de tentar fazer um bom jogo e fazer pontos”, disse o técnico dos algarvios.

António Folha falava aos jornalistas na conferência de imprensa de antevisão do encontro que opõe o Sporting, quarto classificado, com 46 pontos, ao Portimonense, 10.º, com 28, no domingo, às 20:00, no Estádio José Alvalade.

O treinador admitiu que a equipa “está a readaptar-se a um novo jogo, depois das saídas e entradas, criando um sistema” que possa dar mais garantias de estabilidade.

“As coisas estão a encaminhar-se, não no que diz respeito aos resultados, mas no poder jogar outra vez com aquela qualidade que tivemos anteriormente, embora não esteja a ser fácil depois das saídas de peças importantes”, sublinhou.

Folha assegurou que os algarvios vão defrontar o Sporting, “sabendo que não há jogos fáceis, mas com a confiança de fazer um bom jogo, acreditando que a equipa possa ser competente e sem medo de perder”.

“Face ao poderio do adversário, naturalmente que iremos passar mais tempo sem bola, mas teremos de ser competentes e tapar os caminhos da nossa baliza, porque o Sporting, embora não esteja a atravessar um bom momento, é uma equipa recheada de grandes jogadores internacionais e que nos vai dificultar”, indicou.

Folha revelou que para o jogo de domingo não vai poder contar com Jackson Martinez, castigado, e com Dener e Marcelo, ambos lesionados.

O Portimonense atravessa o pior ciclo de resultados desta época, tendo averbado quatro derrotas e um empate nas últimas cinco jornadas, ciclo que o treinador pretende inverter para garantir os pontos que garantam os pontos necessários para assegurar a permanência.

Abel Ferreira quer Sporting de Braga a “voltar à normalidade” na visita ao Rio Ave

O treinador do Sporting de Braga disse hoje que, depois de três derrotas consecutivas, a equipa quer muito “voltar à normalidade” já diante do Rio Ave, no domingo, em jogo da 24.ª jornada da I Liga de futebol.

Os minhotos perderam com o Sporting (3-0) e com o Belenenses (2-0) para o campeonato e, na terça-feira, com o FC Porto (3-0), na primeira mão da segunda meia-final da Taça de Portugal, registo negativo de oito golos sofridos e zero marcados que Abel Ferreira quer inverter em Vila do Conde.

“Todas as equipas passam por momentos de adversidade e, para nós, esses momentos ajudam-nos a crescer, individual e coletivamente. Temos de nos lembrar todos os dias o que nos trouxe até aqui. Como equipa, somos altamente competitivos quando todos atacamos e defendemos, queremos voltar à normalidade”, frisou.

O técnico anteviu dificuldades em casa de um adversário “que tem um histórico interessante com o Braga”, uma “equipa que, tal como o Braga, tem uma identidade forte, que gosta de jogar e que tem processos bem definidos. O mais importante é voltar a focar, porque o valor está aqui, os jogadores, o treinador e a estrutura são os mesmos”, reforçou.

Confrontado com os índices de confiança mais baixos da equipa depois dos três desaires, Abel Ferreira lembrou que falou sempre em “pressão positiva: fomos alimentando e dando esperança, mas o processo de aculturação de uma mentalidade ganhadora requer um caminho e uma habituação que nos vai ajudar a crescer, tudo tem um caminho e um tempo”, disse.

O treinador desvalorizou a presença de António Salvador, no balneário após a derrota no ‘dragão’, frisando que o presidente ‘arsenalista’ “está sempre presente” nas vitórias, derrotas ou empates, assim como nos treinos.

“Fizemos uma reflexão construtiva do que a equipa já fez, sentimos o seu carinho, apoio, ambição e exigência, que nós próprios também impomos, e ele não quer mais que a equipa e que o treinador jogar para ganhar”, assegurou.

Questionado sobre se seriam evitáveis as palavras recentes de Salvador, que frisou que menos do que um lugar no pódio seria “uma frustração”, o técnico respondeu: “temos de ter sonhos e objetivos, [mas] às vezes confundimos sonhos com objetivos, queremos lutar pelo lugar que temos e isso passa já pelo próximo jogo”.

“O tempo tem o seu ritmo e põe tudo no seu sítio, há um caminho que é preciso continuar a percorrer, basta olhar para 14 ou 15 anos atrás, por isso é que há projetos, perceber que, por muito que nos custe, estas derrotas obrigam-nos a refletir e que há determinados aspetos que temos que melhorar”, disse.

Sporting de Braga, terceiro classificado, com 49 pontos, e Rio Ave, nono, com 28, defrontam-se no domingo, às 17:30, no Estádio do Rio Ave, em Vila do Conde.

Treinador do Rio Ave quer tirar proveito de ciclo irregular do Sporting de Braga

O treinador do Rio Ave, Daniel Ramos, disse hoje que espera tirar “algum proveito” da série negativa do Sporting de Braga, no domingo, em jogo da 24.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol.

Na antevisão à receção aos bracarenses, terceiros classificados com 49 pontos, o técnico dos vila-condenses assumiu a ambição de capitalizar a instabilidade do adversário que não vence há três jogos, ressalvando que “jogar contra uma boa equipa como é o Sporting de Braga traz sempre dificuldades”.

“É sempre preferível apanhar as equipas quando não estão com ciclos muito positivos, e não estão com a confiança tão evidente. Porque, quando surgem as derrotas, há sempre dúvidas, insatisfação e menos crença. Podemos tirar algum proveito dessa situação do Braga”, partilhou Daniel Ramos.

O treinador do Rio Ave também reconheceu que a sua equipa não passa um bom momento em termos de resultados, sobretudo nos jogos em casa, onde não há ganha há oito jornadas, confessando que tal “gera incómodo”.

“É evidente que tem um peso natural, mas queremos rapidamente regressar às vitórias em casa. Temos falado sobre isso, tentando perceber os porquês. Não escondo que gera algum incómodo, mas em casa ou fora temos é de fazer pontos, melhorar os nossos processos e sobretudo a eficácia, porque a equipa tem dados boas respostas e criado oportunidades”, analisou o técnico.

Nesta toada de ciclos menos positivo de ambos conjuntos, Daniel Ramos antecipou para este domingo “um jogo forte e intenso, com duas equipas a quererem ganhar, com o Rio Ave a tentar mandar, sabendo que o Braga também o vai querer fazer”.

“Sei que é um adversário que gosta de dominar, estamos preparados para isso, já os defrontei várias vezes e sei o que teremos pela frente”, completou o treinador.

A época irregular do Rio Ave atirou a equipa para as posições do meio da tabela — ocupa o nono lugar com 28 pontos –, já longe do objetivo europeu que o clube sempre traça, e ainda não a salvo da despromoção.

“Temos de ser realistas e perceber que a distância para o quinto lugar é grande e, por agora, não se justifica falar nisso. É preciso fazer pontos para subir na tabela e, de forma natural, distanciar das equipas que estão mais em baixo”, assumiu Daniel Ramos.

O treinador não poderá contar com os castigados Filipe Augusto e Diego Lopes, além dos lesionados Gelson Dala, Joca e Nuno Santos.

Rio Ave e Sporting de Braga defrontam-se no domingo, em Vila do Conde, a partir das 17:00.

Silas fala em obrigação do Belenenses em vencer “desesperado” Feirense

O treinador do Belenenses considerou hoje que a sua equipa está obrigada pensar em vencer na receção ao Feirense, no domingo, na 24.ª jornada da I Liga de futebol, frente a um adversário que está numa posição “desesperante”.

Depois do triunfo (2-0) na última ronda, em casa do Sporting de Braga, Silas admitiu que o estado de espírito vivido na equipa é bom, numa semana em que o clube viu confirmado o regresso ao Estádio Nacional, em Oeiras, palco que tem sido a casa emprestada do Belenenses.

“Temos obrigação de entrar em todos os campos a pensar em vencer. Claro que, olhando para o historial das duas equipas, seremos favoritos e temos de provar isso em campo”, afirmou o técnico, em conferência de imprensa.

Analisando a situação do adversário “muito difícil”, que está a nove pontos da primeira equipa (Tondela) acima da zona de despromoção, Silas elogiou também o novo treinador dos ‘fogaceiros’.

“É um adversário muito difícil, está numa situação que começa a ser desesperante e é muito desconfortável. [O Filipe Martins] Já nos ganhou duas vezes em jogos amigáveis com o Mafra e é um treinador muito valente”, declarou.

Voltar a jogar no Estádio Nacional deixou o técnico satisfeito, depois de resolvidos os problemas do relvado.

“É a nossa casa. Trabalhamos aqui todos os dias, vamos considerando que é um espaço muito familiar e preferimos jogar aqui do que em outro sítio qualquer. Depois das medidas que foram tomadas, a empresa que entrou é mais do que reconhecida e podemos ter um relvado à altura das equipas que entram em campo”, explicou.

Por fim, Silas deixou evidente que os 36 pontos são o objetivo imediato.

“Temos de pensar jogo a jogo e à medida que vamos ganhando pontos vamos estando o olhar para aí (40 pontos), 36 é o que dará a salvação, é o que tem de ser a nossa meta. Depois vemos onde poderemos chegar”, terminou.

No domingo, o Belenenses, sétimo classificado, com 33 pontos, recebe o Feirense, 18.º, com 14, no Estádio Nacional, em Oeiras, pelas 15:00, num encontro da 24.ª jornada do campeonato.

Filipe Martins acredita na vitória do Feirense frente ao Belenenses

O treinador do Feirense, Filipe Martins, afirmou hoje que a sua equipa está perto de regressar às vitórias na I Liga de futebol, após 21 jornadas sem vencer.

Na conferência de imprensa de antevisão da visita ao Belenenses, no domingo, a contar para a 24ª jornada da I Liga, o técnico disse que o Feirense tem de evitar as desconcentrações do passado para garantir o regresso aos triunfos.

“Queremos voltar às vitórias o mais rapidamente possível. É para isso que temos vindo a trabalhar. Vamos tentar evitar os erros que nos têm custado pontos e estamos focados em repetir os períodos muito bons que já tivemos noutros jogos. Se o conseguirmos, estaremos mais perto de voltar às vitorias”, afirmou.

O Feirense, 18.º e último classificado com 14 pontos, não vence desde no campeonato desde 20 de agosto de 2018, quando derrotou o Vitória de Guimarães, por 2-0, na visita aos minhotos.

Filipe Martins disse confiar no talento e dedicação dos seus jogadores para alcançar um resultado positivo frente ao Belenenses, sétimo com 33.

“A atitude dos meus jogadores tem sido excelente. Eles estão com muita vontade de inverter o rumo dos acontecimentos. O nosso primeiro objetivo é potenciar o que temos feito bem para conseguir uma vitória. Com uma vitória o estado anímico da equipa vai-se transformar completamente”, referiu.

O treinador do Feirense admitiu que não se sente desconfortável com a crise de resultados do Feirense, reforçando a ideia de os jogadores estão focados nos objetivos do clube.

“Os treinos servem para retificar os erros que temos cometido. Não tenho nada a apontar aos jogadores, eles têm trabalhado muito e bem de forma a alterar a situação da equipa. Não temos perdido jogadores por lesão e temos recuperado muita gente. Ter mais opções pode permitir que fiquemos mais fortes, mas a mensagem que temos de dar é dentro de campo. Se acredito numa vitória amanhã? Claro que acredito. Acredito sempre”, sublinhou.

Belenenses e Feirense defrontam-se no domingo, a partir das 15:00, no Estádio Nacional, em Oeiras, em jogo da 24.ª ronda.