Pub

O Secretário Regional da Agricultura e Desenvolvimento Rural, António Ventura, realçou hoje, em Ponta Delgada, o papel da investigação científica enquanto “parceira fundamental do Governo Regional na procura de soluções para os problemas que assolam a agricultura Açoriana”.

“Estamos hoje aqui para ver resultados, ouvir resultados e projetar o futuro” sustentou hoje o Secretário Regional

António Ventura falava na sessão de abertura do encontro “ECO2-TUTA: Meeting Programe”, dedicado a fazer a avaliação da viabilidade ecológica e económica da produção em massa de agentes biológicos para combate a Tuta absoluta (Meyrick) (Lepidoptera, Gelechiidae), em cultura protegida.

Pub

Este programa desenvolveu, ao longo de três anos, trabalhos de campo na cultura do tomate e respetivos registos, na firme convicção de que podem residir nos organismos nativos as respostas ao controlo de algumas pragas-chave das culturas no ecossistema insular, sensível à perda de biodiversidade.

Cumulativamente, foram recolhidos outros dados que se podem revestir de utilidade para enriquecer o caminho do agricultor na agricultura sustentável, nomeadamente, na adoção de meios de luta alternativos à luta química no que respeita ao combate de pragas e doenças e ainda a observação da adaptação das variedades instaladas às condições locais existentes.

Para o titular da pasta da Agricultura, “não existe uma boa política e uma política conjunta de intervenções públicas se não existir o suporte técnico, que é dado essencialmente pela investigação”.

O Plano e Orçamento Regional para 2022, anunciou ainda, contempla verbas para a investigação científica, “um sinal claro, que a investigação tem que estar presente na Secretaria Regional da Agricultura e do Desenvolvimento Rural”, frisou.

O Secretário Regional da Agricultura e do Desenvolvimento Rural destacou igualmente o papel da Universidade dos Açores e da investigação ao serviço da comunidade e da agroprodução no desenvolvimento de políticas “no combate mais biológico e menos químico”, afirmou.

“Temos de alterar as nossas práticas no combate às alterações climáticas, na redução das emissões de metano, na conservação de solos e bem-estar animal”, defendeu ainda.

O projeto que hoje foi abordado por António Ventura contou com a participação de parceiros de âmbito regional, nacional e internacional e foi financiado em 85% pelo FEDER e 15% por Fundos Públicos dos Açores, através do programa Operacional 2020

Pub