“Estão já em curso os trabalhos de preparação do projeto de reabilitação/reconstrução do Porto das Lajes das Flores e também o projeto para a intervenção de emergência no local, de modo a melhorar as condições de segurança, no mais curto prazo de tempo possível”, quer no cais como no terrapleno de serviço e no respetivo acesso terrestre, explica a empresa, num comunicado enviado às redações.

Segundo a empresa, depois de concluídas as dragagens no cais do Porto das Lajes das Flores, e “da célere instalação”, no local, “de cinco novos cabeços de amarração, para garantir a operação com as condições de segurança necessárias a navios de calado não superior a 4 metros”, a Portos dos Açores está a “fazer dragagens dos fundos a nascente daquele mesmo cais”, com o objetivo de “viabilizar a operação do navio-tanque São Jorge para abastecimento de combustíveis à ilha” das Flores.

A Portos dos Açores adianta ainda que “estão encomendados pela administração portuária os equipamentos necessários para o assinalamento marítimo provisório, a fim de garantir a fiabilidade do acesso ao porto comercial da ilha das Flores, amplamente destruído pelo furacão”.

A passagem do furacão “Lorenzo” nos Açores, em 02 de outubro, provocou prejuízos de cerca de 330 milhões de euros, segundo anunciou na passada segunda-feira o presidente do Governo Regional, Vasco Cordeiro.

“No total, o furacão ‘Lorenzo’ provocou um prejuízo cujo valor se aproxima dos 330 milhões de euros em várias ilhas dos Açores, em áreas como infraestruturas portuárias e de apoio à atividade portuária, rede viária e outros equipamentos públicos, na habitação, nas pescas, na agricultura e no sector empresarial privado”, disse ainda o chefe do executivo regional, em conferência de imprensa, na segunda-feira.

Devido à passagem do furacão foram registadas 255 ocorrências, tendo o mau tempo obrigado ao realojamento de 53 pessoas.

O Porto das Lajes das Flores ficou totalmente destruído, devido à passagem do furacão.