Governo dos Açores e municípios com medidas conjuntas para combate à pobreza e exclusão

O Governo dos Açores assinou hoje um protocolo com a associação de municípios da região incorporando medidas de combate à pobreza e exclusão social dirigidas a crianças, jovens e idosos, incluindo a criação de pontos de apoio para estudar.

documento hoje assinado entre as secretarias regionais da Solidariedade Social, da Saúde e da Educação e Cultura, e a Associação de Municípios da Região Autónoma dos Açores (AMRAA), integrado no I Plano Bianual (2018-2019) de Combate à Pobreza, contempla oito medidas, cerca de 10% das 83 ações previstas no plano estratégico do Governo dos Açores.

As áreas de intervenção a implementar em cooperação com os municípios dos Açores contemplam, nomeadamente a criação de pontos de apoio, espaços de formação não-formal para promover hábitos e métodos de estudo acompanhado em locais como associações desportivas e culturais.

“É um projeto piloto de criação de pontos de estudo que vão ser criados nos territórios prioritários dos polos locais de desenvolvimento e coesão social que já foram definidos, designadamente em Rabo de Peixe, Fenais da Ajuda, Arrifes, Água de Pau (São Miguel) e Terra Chã, na ilha Terceira”, explicou a secretária regional da Solidariedade Social, Andreia Cardoso, em declarações aos jornalistas.

“A ação dos munícios não se esgota nestas oito medidas que estão contempladas, mas é imprescindível que ocorra em dois domínios essenciais, um que tem a ver com a promoção do sucesso escolar e neste âmbito foi elencada uma ação já testada, designadamente no município da Lagoa de criação de pontos de estudo que podem realizar-se junto a associações culturais ou desportivas em que os jovens se sintam mobilizados e motivados a consolidar as suas competências”, sublinhou ainda.

O documento prevê que será concebido um programa regional de caráter lúdico-pedagógico de valorização do sucesso e progressão.

Para a população idosa contempla a promoção da atividade física e ações para incrementar a literacia em Saúde e de formação de preparação para a reforma.

Será também disseminado o projeto “Equipa-te”, como forma de reforço das competências pessoais e sociais dos jovens por via da prática desportiva e concebido um programa de voluntariado.

“É um combate e uma luta que temos tido na região com sucessos naturalmente, mas também com insucessos. E, por isso, é que fizemos constar no plano do Governo para esta legislatura a conceção de uma estratégia regional de combate à pobreza e a governante.

Andreia Cardoso salientou ainda a importância de envolver os agentes locais, regionais, públicos e privados no combate à pobreza, para garantir uma intervenção “em territórios prioritários” e promover “ações dirigidas em função de cada uma das realidades”.

Após a assinatura do protocolo, a presidente da associação de municípios da região, Cristina Calisto, realçou “o compromisso dos municípios” que já desenvolvem ações na área de combate à pobreza e exclusão social, mas que “carecia de uma estratégia comum articulada”.

Cristina Calisto, que é também presidente da Câmara Municipal da Lagoa, em São Miguel, destacou que os municípios por estarem “mais próximos das populações” são “agentes importantes na cooperação com o Governo” dos Açores.

 

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial