Foto: JEdgardo Vieira
Pub

“Considerando o atual contexto epidemiológico na Ilha Terceira e tendo em vista a segurança dos utentes internados, dos profissionais de saúde e da comunidade em geral, informa-se que, de forma transitória e até comunicação de novas normas do plano de contingência nesta matéria, encontram-se temporariamente suspensas as visitas no âmbito da pandemia por covid-19, com efeitos imediatos”, informou aquela unidade hospitalar, na sua página da Internet.

Também a Câmara Municipal de Angra do Heroísmo cancelou hoje “os eventos do mês de julho”, devido à “atual situação epidemiológica”, segundo divulgou na rede social Facebook.

Aquele município faz referência, por exemplo, ao evento Angra ao Vivo – Américo Roque ou aos concertos do Angra em Festa para julho, que vão ser “adiados para data a definir”.

Quanto às visitas no hospital, a unidade esclarece que se mantêm “as situações e autorizações excecionais com os motivos justificativos já previstos nas normas em vigor”.

Pub

O boletim de hoje da Autoridade de Saúde Regional indicou que os Açores registaram, nas últimas 24 horas, 72 novos casos de covid-19, dos quais 38 na ilha Terceira e 34 em São Miguel, somando 436 infeções ativas.

Os números só se aproximam dos de 10 de abril, altura em que o arquipélago registou 76 novos casos, sendo então 75 em São Miguel e um na Terceira, com um total de 264 casos ativos de covid-19.

Atualmente, de acordo com a nota de imprensa da Autoridade de Saúde, a região “conta com 436 casos positivos ativos, sendo 307 em São Miguel, 95 na Terceira, 10 no Pico, nove em São Jorge, sete nas Flores, sete no Faial e um na Graciosa”.

Na ilha Terceira, onde o boletim de terça-feira identificava 11 novos doentes, foi identificada a maioria dos novos casos do arquipélago (38) nas últimas 24 horas.

O diretor regional de Saúde dos Açores disse hoje existir transmissão comunitária de covid-19 na Terceira, estando previsto um agravamento das medidas de contenção do contágio nesta ilha, agora em “alto risco” de infeção pelo novo coronavírus.

“Não vale a pena estarmos a adiar o declarar de uma situação de transmissão comunitária, até porque interessa aplicar medidas em consonância com essa situação, de forma a tentar mais rapidamente identificar novos casos”, adiantou, em declarações à Lusa, o diretor regional da Saúde dos Açores, Berto Cabral, responsável máximo pela Autoridade de Saúde Regional.

As medidas aprovadas em Conselho de Governo, a aplicar a partir das 00:00 de sábado, só deverão ser conhecidas na quinta-feira, mas a ilha Terceira, que deixou de ter transmissão comunitária identificada em março e estava há vários meses em muito baixo risco de transmissão do SARS-CoV-2, deverá passar ao nível de alto risco, segundo o responsável.

“No caso da Terceira, passa de uma situação de muito baixo risco para alto risco. Vamos ter, naturalmente, de ter medidas diferentes das que tínhamos até agora”, afirmou.

Pub