Hospital Internacional dos Açores será relevante para o desenvolvimento da Lagoa

“Hoje a Lagoa tem motivos para celebrar. Orgulhamo-nos de estar aqui hoje para assistir ao lançamento da primeira pedra do Hospital Internacional dos Açores, o primeiro hospital privado da Região, que se estima estar em pleno funcionamento a partir de 2020”, estas foram as palavras proferidas, hoje, por Cristina Calisto, Presidente da Câmara Municipal de Lagoa, aquando da cerimónia de lançamento da primeira pedra do Hospital Internacional dos Açores (HIA), no NONAGON, na cidade de Lagoa.

De salientar que, o HIA é um projeto ao abrigo do Lagoa Investe – Regulamento de Apoio e Incentivo a Iniciativas Económicas de Interesse Municipal, cujo empreendimento, é direcionado para a área da saúde e espelha algumas das prioridades da autarquia lagoense, em matéria de dinamização empresarial e de desenvolvimento económico.

Para a edil lagoense, o Tecnoparque, local onde será implantado a nova unidade de saúde, representa “uma área de expansão económica da Lagoa, vocacionada, numa primeira linha para a Ciência e Tecnologia. Aqui já se situam o Expolab e o Nonagon e a partir de agora, com este Hospital Privado, cuja construção arranca hoje, a Lagoa inicia um novo e promissor ciclo, uma vez que, a concretização deste investimento terá impacto, não só para o concelho, mas também para a Região Autónoma dos Açores”.

Efetivamente, Cristina Calisto, relembrou que, o Tecnoparque, “a obra mais criticada de sempre”, está a afirmar-se como o elemento diferenciador da Lagoa, comparativamente aos demais concelhos da ilha de São Miguel.

“Não tenho dúvidas de que, este hospital será uma infraestrutura relevante para o desenvolvimento do concelho e virá a contribuir fortemente para a criação de postos de trabalho, para a dinamização de outros setores, como o tecido empresarial, para além de que, será uma aposta na Inovação e Tecnologia através de uma estratégia comercial inovadora a nível regional”, afirmou a Presidente da Câmara Municipal de Lagoa, acrescentando que este, é um espaço de excelência para grandes investimentos e para projetos de dimensão internacional e nacional.

Por outro lado, foi salientado que, o ano de 2018, tem-se revelado ser um ano intenso e positivo, nomeadamente com a realização de vários projetos no concelho. O arranque das obras do empreendimento turístico Quinta da Paródia; a aprovação da candidatura a fundos comunitários dos projetos Lagoa Smartcity e ciclovia da Lagoa; a abertura do Gabinete de Desenvolvimento Económico; a entrega do projeto para licenciamento e anúncio do Lar residencial e CAO e o arranque das obras do empreendimento turístico Sul Villas, foram alguns dos projetos, de maior envergadura, realizados no concelho de Lagoa.

Cristina Calisto, Presidente da Câmara Municipal de Lagoa

Cristina Calisto, anunciou, ainda que, dois novos projetos, que irão reforçar a área do Turismo e da Educação, serão anunciados oportunamente.

Finalmente, a autarca relembrou que, o “grande papel de um município é a dinamização económica, social, desportiva, cultural e turística, que também é algo subjacente ao modelo de gestão do Tecnoparque”, sendo que, a missão da Câmara Municipal passa por projetar a Lagoa para um novo patamar de desenvolvimento, gerar confiança nos investidores e aproximar as empresas locais.

Partilha

Notícias relacionadas