PUB

O Secretário Regional do Mar, Ciência e Tecnologia felicitou hoje o centro de investigação Okeanos, sediado na Horta, pela classificação ‘Excelente’ obtida no âmbito da avaliação dos centros de investigação científica nacionais levada a cabo pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT), cujos resultados foram conhecidos esta semana.

O Instituto de Investigação em Vulcanologia e Avaliação de Riscos (IVAR), o Centro de Ecologia, Evolução e Alterações Ambientais (cE3c) e o Centro de Investigação em Biodiversidade e Recursos Genéticos da Universidade dos Açores (CIBIO-Açores/InBio), cujos projetos integram investigadores da Região, também obtiveram a classificação ‘Excelente’, enquanto o Centro de Biotecnologia dos Açores (CBA) e o Instituto de Investigação e Tecnologia Agrária e do Ambiente dos Açores (IITAA CITA-A) foram avaliados com ‘Muito Bom’.

Segundo Gui Menezes, estes resultados trazem um “novo elã” e “vêm reforçar as linhas estratégicas de investigação dos centros de investigação regionais”, acrescentando que “dão uma perspetiva temporal em termos de financiamento, de contratação de recursos humanos e de bolsas de investigação, com um volume financeiro considerável, que é muito positivo para a ciência que se faz nos Açores”.

PUB

A avaliação da FCT é determinante para os centros de investigação, já que define o financiamento anual, a nível nacional, entre 2020 e 2023.

O Secretário Regional defendeu que o Okeanos é um centro de investigação com “uma dinâmica de investigação muito grande, que produz resultados que dão resposta aos compromissos e às responsabilidades do Governo dos Açores em matéria de políticas europeias, como a Diretiva Quadro Estratégia Marinha, o ordenamento do espaço marítimo e o planeamento de áreas marinhas protegidas, que são medidas políticas e ações em que é necessário conhecimento”.

O Secretário Regional falava aos jornalistas à margem de uma reunião com cientistas sediados na ilha do Faial e ligados à investigação marinha, onde foram analisados os projetos de investigação que foram financiados pelo Programa Operacional Açores 2020.

Ao abrigo dos dois concursos de apoio a projetos de investigação e desenvolvimento (I&D) no âmbito da RIS3 – Estratégia de Especialização Inteligente dos Açores, lançados pela Região, que representam, no total, um investimento de 6,7 milhões de euros, foram aprovados 43 projetos científicos, permitindo 66 contratações, com destaque para três dezenas de doutorados.

No âmbito da primeira ‘call’, em 2015, foram selecionados cinco projetos de investigação do Okeanos, sendo que, no âmbito da segunda ‘call’, lançada no ano passado, foram selecionados seis projetos científicos, que terão o seu arranque este ano, e correspondem a um financiamento total de cerca de 1,8 milhões de euros.

Gui Menezes frisou ainda que o Okeanos participa em oito projetos INTERREG, em parceria com o Fundo Regional para a Ciência e Tecnologia, e em nove projetos no âmbito do H2020, acrescentando que estão a decorrer no Faial 12 bolsas financiadas pela Região, nomeadamente quatro de pós-doutoramento e oito de doutoramento, num investimento de cerca de 850 mil euros.

O titular da pasta da Ciência adiantou ainda que o aviso público para a contratação de 10 recursos humanos, por três anos, para o Centro de Investigação Okeanos, no valor de 2,2 milhões de euros, será lançado em breve, acrescentando que “se perspetiva que estas contratações façam crescer e estabilizar os projetos de investigação” que decorrem neste centro.

Gui Menezes anunciou também que está prevista a abertura de um concurso no âmbito do Roteiro Nacional das Infraestruturas de Interesse Estratégico (RNIIE), no valor de 2,5 milhões de euros, para nós regionais de infraestruturas na área do Mar, nomeadamente o nó regional da Infraestrutura European Multidisciplinary Seafloor Observatory – Portugal (EMSO.PT), que vai permitir criar um observatório subaquático, e o nó regional da Infraestrutura European Marine Biological Resource Centre – Portugal (EMBRC.PT), que prevê o intercâmbio de investigadores e estudantes de várias universidades europeias que utilizam os laboratórios das universidades que integram esta rede.

A visita do Secretário Regional ao Okeanos e a reunião com os cientistas responsáveis por projetos de investigação marinha a decorrer no Faial realizou-se no âmbito da visita do Governo dos Açores a esta ilha, que hoje teve início.

Pub