Confirmou-se que o PSD não incluiu nenhum candidato açoriano em lugar elegível na sua lista para as eleições ao Parlamento Europeu. Tal comportamento resulta de táticas político-partidárias e de uma visão redutora do papel dos Açores quanto ao seu peso no todo nacional. De facto estes dirigentes nacionais do PSD não dão relevância ao papel histórico dos Açores na construção da Autonomia Democrática e o que isto representa para Portugal, não valorizam a importância do papel dos Açores nas Regiões Ultraperiféricas no seio da União Europeia, e desprezam a dimensão atlântica e estratégica que os Açores conferem ao País. Acham que os 2,4% que a população açoriana representa no todo nacional não conta. Quem pensa assim, não merece a consideração do Povo Açoriano.

Naturalmente que o Dr. Mota Amaral foi desconsiderado mas, mais do que o Dr. Mota Amaral, foi desconsiderada a Região Autónoma dos Açores.

Sendo assim, só nos resta dar a resposta adequada e com uma enorme dimensão no dia das eleições europeias.

E se esta gente na oposição já trata os Açores assim, imaginem quando chegar ao poder.