Governos dos Açores e das Canárias reforçam aliança para afirmação e defesa das Regiões Ultraperiféricas

O Secretário Regional Adjunto da Presidência para as Relações Externas manifestou hoje, em Las Palmas, satisfação pela forma como decorreram as reuniões com o Governo das Canárias para a defesa conjunta dos interesses das Regiões Ultraperiféricas (RUP) e da Macaronésia.

“Vimos que há nitidamente uma aliança entre os Açores e as Canárias, desde logo em relação à postura que as Ultraperiféricas devem ter em relação ao próximo Quadro Financeiro de Apoio” afirmou Rui Bettencourt, que falava aos jornalistas no final de uma reunião com a Conselheira da Economia, Conhecimento e Emprego do Governo das Canárias, Carolina Darias San Sebastian.

“O Quadro Financeiro 2021/2027 é um quadro financeiro que coloca no centro das atenções as preocupações do Governo das Canárias e dos Açores e, neste aspeto, desde já vimos que há uma grande preocupação em defender junto da Comissão Europeia, junto dos Estados Membros, que depois irão promover no Conselho Europeu uma defesa das nossas posições”, frisou.

Para o titular da pasta das Relações Externas, “o Governo das Canárias e o Governo dos Açores têm uma posição conjunta e de grande proximidade nessa defesa e também uma estratégia para que os próximos momentos”, como a reunião dos Presidentes das Regiões Ultraperiféricas e o Fórum das Ultraperiféricas, e, em relação ao Parlamento Europeu, em que cada um dos aliados dos Açores e das Canárias “estão preparados para essa defesa”, considerando que essa aliança “é fundamental”.

No que diz respeito ao espaço da Macaronésia entre Açores e Canárias, o Secretário Regional disse que “essa cooperação pode estruturar uma cooperação mais alargada, implicando a Madeira e Cabo Verde”, salientando que foi com “grande agrado” que viram que existe “o mesmo entendimento em relação à defesa da Macaronésia e em relação às atividades da Macaronésia”.

Rui Bettencourt considerou ainda que. nas questões europeias, que “o Governo das Canárias e o Governo dos Açores têm a mesma posição em relação aos programas de cooperação territorial europeia”, tendo transmitido ao Governo das Canárias “o que são as esperanças, as preocupações e os desejos quer dos parceiros sociais, quer do Governo dos Açores” para que esse programa incida sobre os transportes, o desenvolvimento regional sustentado e a economia do turismo, mas também para que possa financiar projetos comuns a todas as RUP.

“Vimos também que havia um grande interesse entre os dois governos para que, na defesa do próximo Quadro Financeiro Plurianual 2021/2027, houvesse um combate à proposta da Comissão Europeia para diminuir a taxa de comparticipação de 85 para 70%”, salientou o governante, considerando que esta questão foi “fundamental” no encontro que manteve com a Conselheira do governo canarino.

O Secretário Regional frisou ainda a existência de “uma grande proximidade” em relação aos aliados comunitários de ambas as regiões.

“Aferimos posições comuns no Comité das Regiões, aferimos posições comuns no Parlamento Europeu e aferimos também posições comuns em relação a toda a estratégia de defesa das Ultraperiféricas, na defesa do que está estipulado no artigo 349, e também na afirmação daquilo que tem sido fundamental para os Açores, que é afirmar junto da União Europeia, junto de todas as instituições, que as Regiões Ultraperiféricas, em particular, as Canárias e os Açores, trazem à União Europeia uma dimensão oceânica e uma projeção mundial e geoestratégica que é uma mais valia e deve ser considerado pela União Europeia como uma mais valia”, afirmou Rui Bettencourt.