Foto: JEdgardo Vieira | Berto Cabral

“De acordo com o plano e informação que temos, sendo verdade que todo este processo tem tido avanços e recuos, a expectativa é que isso [a vacinação de todos os açorianos] possa acontecer depois do verão”, declarou Berto Cabral, que foi esta tarde à unidade de saúde do concelho da Ribeira Grande marcar simbolicamente o arranque da administração da segunda dose da vacina nos Açores.

Berto Cabral afirmou que tudo “dependerá do ritmo a que as vacinas vão chegando”, sendo que “nem sempre tem acontecido ao ritmo que estava previsto”.

O responsável recordou que “estava previsto na primeira semana de fevereiro receber três caixas” de vacinas, mas “o Governo dos Açores foi informado que se irá receber naquela primeira semana duas caixas e, duas semanas depois, a terceira caixa”, a par de outras três que estão previstas chegar “no início de março”.

O diretor regional da Saúde recordou que existem 5.160 açorianos que levaram a primeira dose da vacina e que hoje iniciaram a segunda dose, cujo processo terminará em 29 de janeiro.

Os beneficiários estão “divididos por utentes de lares de idosos, unidades de cuidados continuados e casas de saúde, mas também profissionais de saúde dessas instituições e dos hospitais da Terceira e São Miguel, a par de profissionais das unidades de saúde” de ambas as ilhas.

Questionado sobre quanto tempo é necessário para se ganhar imunidade após a administração da segunda dose da vacina, Berto Cabral declarou que “é preciso aguardar mais alguns dias, havendo que perceber que este é todo um processo novo a nível mundial”, sendo que, “logo que se conclua a segunda dose, na próximas semanas as pessoas ficarão com a sua imunidade, sendo certo que a sua duração ainda está a ser estudada”.