Governo Regional “esconde” listas de espera para cirurgia

O líder parlamentar do PSD/Açores afirmou hoje que o Governo Regional está a “esconder” os dados sobre as listas de espera para cirurgia desde maio de 2018, tendo exigido ao executivo que “deixe de ocultar” essa informação dos açorianos.

“O Governo Regional tem responsabilidades política na gestão das listas de espera para cirurgia, cujos dados esconde deste maio do ano passado. Os açorianos continuam sem conhecer esses números. E o que diz a senhora Secretária Regional da Saúde? Que é ‘para breve’. Convenhamos que é um ‘breve’ muito longo”, afirmou Luís Maurício.

O presidente do grupo parlamentar social-democrata, que falava na Assembleia Legislativa dos Açores num debate sobre Saúde, salientou que há “incompetência” na gestão do problema das listas de espera para cirurgia, tendo dado como exemplo o atraso na contratação de mais médicos anestesistas.

“Há dois anestesistas no Hospital de Ponta Delgada que concluíram a especialidade em abril deste ano e ainda não foi feito contrato com eles. Isso é um caso concreto de incompetência. O Hospital está à espera que estes anestesistas se vão embora?”, questionou.

Já a deputada do PSD/Açores Mónica Seidi alertou para a diminuição do número de cirurgias no conjunto dos três hospitais da Região, que “não seguem uma tendência crescente como seria de esperar”.

“No Hospital de Ponta Delgada a produção cirúrgica diminui cerca de 6,38 por cento face ao ano anterior, o que em números absolutos corresponde a menos 500 cirurgias. São menos 500 doentes operados”, frisou.

Para Mónica Seidi, o problema das listas de espera para cirurgia constitui uma “verdade calamidade” no sector da Saúde nos Açores, que o Governo Regional tarda em combater.

“Foram necessários três anos de legislatura para o Governo Regional reconhecer que era necessário intervir no sector da Saúde de uma forma diferente. Mas também aqui o Governo chega tarde, pois o PSD/Açores há muito que prioriza este sector na sua ação política”, afirmou.

A parlamentar social-democrata lembrou que o PSD/Açores defende, desde 2013, a “produção cirúrgica adicional” como forma de recuperação das listas de espera, mas o Governo e o PS “demoraram dois anos a reconhecer essa proposta como um instrumento válido”.

“Graças à produção cirúrgica adicional foi possível operar cerca de 1.900 utentes que se encontravam há mais tempo inscritos para cirurgia. E muitos mais já poderiam ter sido operados, não fosse a teimosia do partido que suporta o Governo em não querer reconhecer esta proposta como uma boa medida”, lembrou.

Mónica Seidi recordou ainda a proposta social-democrata para reabertura das salas de pequena cirurgia nos centros de saúde de Ponta Delgada e da Ribeira Grande, que permitiria ajudar muitos utentes em lista de espera, mas foi rejeitada pelo PS e pelo Governo Regional.

“Desde sempre que o PSD/Açores deu prioridade à Saúde na sua agenda, pese embora não haja da parte do Governo recetividade ou abertura para acolher as nossas medidas. Mas continuaremos a apresentar propostas, a bem de todos os açorianos”, concluiu.

Recorde-se que, de acordo com os últimos dados disponíveis, existem mais de 12.000 açorianos em lista de espera para cirurgia.