Pub

AÇORES 9 TV EM DIRETO

O Governo Regional demonstrou hoje que não tem um projeto concreto para a investigação e ciência nos Açores, e prepara-se para, simplesmente, arrendar as riquezas naturais do arquipélago.

“Os Açores só poderão ter um papel de destaque e ganhos económicos significativos se tiverem capacidade para ter centros de investigação, inovação e ciência próprios. Caso contrário, não passarão de meros espetadores das diferentes mais-valias extraídas do laboratório natural que eles próprios são”, disse a deputada Zuraida Soares no debate de urgência sobre investigação, conhecimento e política de ciência, realizado hoje no parlamento por iniciativa do Bloco de Esquerda.

A incerteza sobre o papel que os Açores virão a ter nos projetos de ciência que têm sido anunciados, como o AIR Center e o Observatório do Mar, demonstram a “falta de projeto, de ambição, de ideia de futuro”, disse a deputada do BE, que lembrou que o secretário regional do Mar, Ciência e Tecnologia, sobre o AIR Center “não é capaz de dizer o que é que os Açores pretendem dele, como é que se concretiza, quais as valências concretas que aqui ficarão, nem sequer quando se concretizará”.

O Governo Regional limita-se a “esperar sentado, que as coisas aconteçam”, e presta um “mau serviço à Autonomia” quando desiste de criar os instrumentos essenciais para transformar o laboratório natural que são os Açores, num pólo de conhecimento e economia.

O Bloco de Esquerda manifestou grande preocupação com a situação dos investigadores do IMAR, alguns dos quais já receberam cartas de despedimento, e defende que “os Açores podem ter mais e melhor produção de ciência, e têm que ter mais investigadores, que sejam respeitados e acarinhados no trabalho importantíssimo que realizam para esta Região.

Pub