Governo escolhe economia, inovação e conhecimento para debate quinzenal no parlamento

O Governo escolheu a economia, inovação e conhecimento como temas para o debate quinzenal de quarta-feira com o primeiro-ministro, áreas que António Costa tem definido como prioritárias para o desenvolvimento futuro do país.

Nos últimos meses, Costa tem insistido que o “grande investimento duradouro” que o país tem de fazer está relacionado com os recursos humanos e insistiu que a competitividade de Portugal vai assentar “cada vez mais” na inovação e no conhecimento.

Em 31 de outubro de 2017, por exemplo, num debate sobre a Europa, em Coimbra, o chefe do Governo e líder do PS reiterou a necessidade de um crescimento com base na inovação e nas pontes entre a produção de conhecimento e o sistema empresarial e não à custa “de baixos salários e precarização”.

António Costa insistiu no assunto em 08 de janeiro, no Porto, quando anunciou, num almoço debate da Associação Empresarial de Portugal (AEP), que em 2018 vão ser canalizados dois mil milhões de euros de apoios para as empresas, uma “meta ainda mais ambiciosa” do que 2017.

E alertou que não basta criar condições para as empresas investirem, sublinhando que, a par da manutenção do quadro macroeconómico, a capacidade de mobilização e gestão dos fundos comunitários, a criação de infraestruturas e o reforço do investimento na rede portuária, é necessário investir no conhecimento.

Após a intervenção do primeiro-ministro, seguem-se as perguntas das várias bancadas, a começar pelo PSD, do BE, CDS-PP, PCP, PEV, PAN e PS.

O último debate quinzenal, em 01 de fevereiro, foi marcado pelo tom de reivindicação dos dois parceiros do Governo, PCP e BE, a pedirem que se avance com mais rapidez nas alterações às leis laborais e pelas críticas do CDS-PP às comissões da Caixa Geral de Depósitos.