Governo dos Açores renova o apoio ao Red Bull Cliff Diving 2019

Marta Guerreiro afirma que Red Bull Cliff Diving apresenta “efetivo retorno promocional” e gera fluxos turísticos

A Secretária Regional da Energia, Ambiente e Turismo salientou hoje a realização nos Açores da terceira etapa do circuito mundial do Red Bull Cliff Diving, considerando que apresenta “um efetivo retorno promocional” e é “gerador de fluxos turísticos”.

“Com esta prova conseguimos aumentar a notoriedade do destino, com um nível bastante elevado de promoção nacional e internacional, demonstrando as potencialidades dos Açores”, afirmou Marta Guerreiro, que falava, em Vila Franca do Campo, no final do evento, acrescentando que o Red Bull Ciff Diving já é encarado como um clássico do calendário de eventos desportivos da Região a nível mundial.

Esta prova, segundo Marta Guerreiro, enquadra-se “perfeitamente nas ações do Plano Estratégico e de Marketing dos Açores, relativamente à angariação e aposta em eventos de renome internacional no segmento associado às atividades náuticas, projetando os Açores num contexto promocional muito mais vasto”.

A titular da pasta do Turismo assegurou que se trata de “uma aposta ganha”, pelo que o Governo dos Açores mantém “toda a abertura” para, em 2019, manter a “continuidade deste evento nos Açores”.

“Na sua sétima edição, esta é uma prova bem alicerçada nos conceitos da própria World Series e dos Açores – Certificados pela Natureza, na qual temos interesse em continuar a mergulhar em conjunto”, frisou.

Marta Guerreiro reforçou que, “com 28 atletas, de 17 países, uma vez mais, foi possível evidenciar as belezas paisagísticas da Região, promovendo a prática desportiva, através de uma verdadeira experiência de contacto com a Natureza, que se revela preponderante para a escolha dos Açores para eventos como este, por ser singular e diferenciadora”.

 “Nos últimos anos, foi através de experiências que o destino Açores reforçou a sua matriz identitária enquanto destino turístico, fortemente alicerçada na fruição ativa e experiencial do património ambiental, cultural e social, conseguindo posicionar-se favoravelmente em importantes mercados emissores e face a segmentos de procura que querem satisfazer as suas aspirações em matéria de contacto com a natureza e pessoas”, afirmou a Secretária Regional.

 

 

 

Partilha