Pub

O presidente do Governo dos Açores, José Manuel Bolieiro, recusou hoje criar apoios excecionais para os operadores marítimo-turísticos da região, que exigem medidas para mitigar os impactos da pandemia e da guerra na Ucrânia.

“Não deixarei de ser solidário com as reivindicações justas. Não estou é, efetivamente, disponível para que o egoísmo prevaleça naquilo que é a definição das prioridades e naquilo que depende de dependências de subvenção permanente pública”, disse o chefe do executivo, em declarações aos jornalistas, após a inauguração de um novo edificio para os operadores marítimo-turísticos, inaugurado na cidade da Horta, ilha do Faial.

O governante respondia às críticas feitas pelos operadores marítimo-turísticos dos Açores, que se queixam de “discriminação” por parte do executivo regional na adoção de medidas para fazer face à crise que o setor atravessa.

O líder do Governo Regional, de coligação PSD/CDS-PP, disse também esperar que os empresários ligados às atividades marítimas “sejam verdadeiros ativos” da economia do mar.

José Manuel Bolieiro manifestou, por outro lado, uma palavra de “enorme satisfação” e de “gratidão” para com os empresários marítimo-turísticos da ilha do Faial, que até agora estavam instalados em instalações provisórias, junto à Marina da Horta, e que agora veem melhoradas, “substancialmente”, as suas condições de trabalho.

“Uma palavra de gratidão aos operadores, que com enorme resiliência, competência e dedicação ao longo destes anos desempenharam o seu trabalho com as parcas condições que à data possuíam, sempre cultivando o empenho e profissionalismo para a sua atividade”, lembrou o presidente do executivo.

O edifício hoje inaugurado, que custou mais de um milhão de euros, é composto por 16 espaços de comércio e serviços, destinado às atividades marítimo-turísticas locais, incluindo instalações sanitárias, balneários e lavandaria, abrangendo também um terraço com esplanadas.

O imóvel, construído pela Afavias – Engenharia e Construções dos Açores, SA, tem cerca de 90 metros de extensão e fica semienterrado, com apenas uma frente, virada a este, com ligação direta à zona sul da Marina da Horta, integrando também um percurso pedonal entre o edifício do Clube Naval da Horta e o centenário Peter Café Sport.

Pub