Pub

A Secretaria Regional da Cultura, da Ciência e Transição Digital, por via da Direção Regional da Cultura (DRC), através da Biblioteca Pública e Arquivo Regional Luís da Silva Ribeiro (BPARLSR), promove no dia 14 de maio, sexta-feira, pelas, 18h00, a realização da conferência ‘online’ “A Ilha Terceira entre a liberdade e a sujeição no processo liberal de 1828 a 1832”, proferida por Fernanda Enes.

A conferência, transmitida em direto na página no Facebook da Biblioteca de Angra (www.facebook.com/BPARLSR), surge inserida no programa de dinamização da exposição “Teotónio de Ornelas: o Latifundiário Liberal”, e pretende aprofundar o tema das lutas liberais e o papel imprescindível que o povo da Terceira foi forçado a desempenhar, pese embora o seu pendor maioritariamente absolutista, no contexto do sustento e apoio aos emigrados e à Regência, rumo à vitória do Liberalismo Cartista em Portugal.

Neste âmbito, a atuação de Teotónio d’ Ornelas foi decisiva na conjuntura que permitiu a vitória cartista em Angra, onde a revolução e a contrarrevolução se confrontaram e na qual, não obstante as resistências ativas e passivas, a ilha Terceira, mantendo-se fiel à revolta de 22 de junho de 1828, criou as condições de vitória aos adeptos da Carta Constitucional, goradas que ficaram as revoltas do Porto e da Madeira e o insucesso da “Belfastada”.

A exposição “Teotónio de Ornelas: o Latifundiário Liberal” estará patente até ao dia 31 de março de 2022, razão pela qual, ao longo do ano, serão desenvolvidas diversas iniciativas no âmbito desta exposição.

Pub

Maria Fernanda Diniz Teixeira Enes, professora associada, jubilada, pela Faculdade de Ciências Sociais e Humana/Universidade de Lisboa, desenvolveu a sua atividade docente em torno do pensamento político português, ideias da Europa e história das ideias religiosas nas licenciaturas de Filosofia e História das Ideias e de Ciência Política e Relações Internacionais e respetivos mestrados. Além de investigadora, é autora, participando em obras coletivas, entre as quais História dos Açores (2008), e orientou diversas dissertações de mestrado e de doutoramento e organizou, além de participar em diversos colóquios científicos.

Pub