O governate referiu que vão ser contemplados no Programa de Opções Específicas para o Afastamento e a Insularidade nas Regiões Ultraperiféricas (RUP) “novos critérios no âmbito das ajudas que desincentivem a produção intensiva” ou “permitam, em determinadas condições, a reconversão das explorações” da produção do leite para o sector da carne.

O titular da pasta da Agricultura falava na Assembleia Legislativa Regional dos Açores, no âmbito de um debate sobre a situação do preço do leite nos Açores, motivado por uma iniciativa do deputado da bancada social-democrata António Almeida.

António Almeida

António Almeida, deputado do PSD, parlamentar considerou que a lavoura dos Açores “está ligada às máquinas” e que o Governo Regional “está à procura dos meios para fazer o diagnóstico, quando devia ter feito a prevenção da doença”.

Nos Açores, a Unileite anunciou uma descida de um cêntimo no preço do leite à produção na ilha de São Miguel, a par de multas por excesso de produção, tendo o mesmo cenário tido lugar também na ilha Terceira, através da única indústria local.

O grupo Bel também anunciou hoje que a partir de 01 de maio vai igualmente descer o preço do leite à produção em 1 cêntimo.

Para António Almeida, o setor leiteiro dos Açores “não precisa de uma atenção reativa face aos acontecimentos, mas sim uma atenção preventiva evitando as consequências danosas que deixam os produtores de leite impotentes”.

António Lima

António Lima deputado do BE/Açores, considerou que a fileira do leite está a “enfrentar um desastre” face às dificuldades impostos pela União Europeia como o desmantelamento das quotas leiteiras, acusando os governos socialista e social-democrata de “trocarem o leite por lentilhas”.

O deputado do BE considerou que a posição do Governo Regional face à desvalorização do preço do leite “é errática, não se percebendo a estratégia para o setor”, para defender apoios adicionais para a produção ao abrigo do conceito de ultraperiferia.

João Corvelo, da bancada do PCP, considerou que os lavradores estão “num beco sem saída” face à “situação de crise que se vive” no setor, “vítimas das políticas neoliberais”, tendo pedido a intervenção do executivo açoriano na ilha Terceira face “aos abusos da situação de monopólio” por parte da única indústria local.

O parlamentar centrista Alonso Miguel considerou que o Governo Regional “cometeu erros” de avaliação em todo o processo da fileira do leite, assistindo-se a uma degradação do preço do produto em “níveis históricos” e agravados com a introdução de multas por parte da indústria para penalizar o excessso de produção.

José San-Bento, da bancada da maioria socialista, acusou o PSD/Açores de ter a “solução mal equacionada” para o setor do leite”, recordando que a liberalização do mercado resulta das políticas da família europeia dos social-democratas e da Política Agrícola Comum (PAC), passando a solução por exercer “influência política” no plano nacional e através da presença de um deputado dos Açores no parlamento dos Açores.