“O dr. Eduardo Cunha Vaz, anterior delegado de saúde, especialista em saúde pública, neste momento não estava a assumir a delegação de saúde de nenhum concelho dos Açores e, portanto, estava disponível. Foi-lhe endereçado o convite e ele aceitou”, afirmou hoje o diretor regional da Saúde dos Açores, Berto Cabral, numa conferência de imprensa, em Angra do Heroísmo.

Em 22 de abril de 2020, o Governo Regional (PS) exonerou o delegado de saúde de Ponta Delgada, Eduardo Cunha Vaz, por ter dado autorização a dois ex-reclusos para se deslocarem a outro concelho quando deveriam estar em confinamento obrigatório, devido à pandemia de covid-19.

“Na sequência da situação verificada com dois ex-reclusos, que chegaram a Ponta Delgada provenientes de Lisboa e que foram autorizados pelo delegado de saúde de Ponta Delgada a deslocar-se ao concelho da Ribeira Grande, em incumprimento do confinamento obrigatório em unidade hoteleira a que tinham de estar sujeitos, a secretária regional da Saúde exonerou, com efeitos imediatos, o referido delegado de saúde, Eduardo Cunha Vaz”, avançou, na altura, o executivo açoriano, em nota de imprensa.

Nessa época, a ilha de São Miguel, tinha cercas sanitárias nos seus seis concelhos: Ponta Delgada, Ribeira Grande, Lagoa, Vila Franca do Campo, Povoação e Nordeste.

Questionado hoje pelos jornalistas sobre a nomeação do mesmo médico para a delegação de saúde da Ribeira Grande, o diretor regional da Saúde do novo executivo (PSDCDSPPM), que tomou posse em novembro de 2020, rejeitou comentar o motivo que levou ao afastamento de Eduardo Cunha Vaz do cargo em Ponta Delgada.

“Não vou tecer qualquer consideração relativamente àquilo que aconteceu antes de eu estar em funções neste cargo. Abstenho-me de qualquer comentário. Só tenho a agradecer a pronta disponibilidade do dr. Eduardo Cunha Vaz em aceitar o convite que lhe foi endereçado para ser delegado de saúde da Ribeira Grande”, afirmou.

Berto Cabral disse que o anterior delegado de saúde da Ribeira Grande “colocou o seu lugar à disposição e pediu para deixar de exercer as funções”, “por questões pessoais”.

“A região deve-lhe também um agradecimento pelo trabalho que fez e desenvolveu ao longo do tempo em que assumiu funções como delegado de saúde da Ribeira Grande”, frisou.