Governo dos Açores estende reservas de sangue a todas as ilhas até 2019

Rui Luís, Secretário Regional da Saúde

O Secretário Regional da Saúde anunciou hoje, na Horta, um plano de criação de reservas de sangue em todos os centros de saúde das ilhas do arquipélago dos Açores que não têm hospital.

“Queremos ter nos centros de saúde, em ilhas onde não há hospitais, uma reserva mínima de sangue para casos de emergência”, frisou Rui Luís, adiantando que, em Santa Maria, “o processo fica concluído até ao final do ano” e durante o ano de 2019 será iniciada a implementação de reservas na Graciosa e no Corvo.

Rui Luís, em declarações aos jornalistas à margem da cerimónia de entrega de medalhas a dadores de sangue do Hospital da Horta, salientou que o equipamento necessário a este processo, que conta com o apoio do Hospital de Ponta Delgada, já está instalado no Centro de Saúde de Vila do Porto, estando prevista formação até ao final do ano.

“A criação de reservas na ilha do Corvo será feita com o apoio do Hospital da Horta e, na Graciosa, com o apoio do Hospital de Santo Espírito da Ilha Terceira, após a validação do Instituto Português do Sangue e Transplantação, ficando todas as ilhas cobertas”, afirmou o titular da pasta da Saúde.

Na cerimónia de reconhecimento pela dádiva de sangue hoje realizada foram homenageados dois dadores inscritos no Banco de Sangue do Hospital da Horta, com medalhas, de ouro e bronze, e com um distintivo, pela ação de um dos voluntários na angariação de novos dadores.

“Este é um ato simbólico, na perspetiva de que estamos a homenagear uma pessoa que tem mais de 60 dádivas ao longo da sua vida e, por isso, recebe uma medalha de ouro, e, por outro lado, um jovem que, para além de já ter iniciado a sua etapa de dádivas, também é um dos promotores de angariação de outros jovens”, salientou Rui Luís.

Este ano, a Direção Regional de Saúde já homenageou 18 dadores registados nos hospitais da Horta, da ilha Terceira e do Divino Espírito Santo, em Ponta Delgada.