Governo dos Açores e Solidaried’arte promovem resposta social a jovens nos Arrifes

A Secretaria Regional da Solidariedade Social associou-se à Solidaried’arte para a implementação de um centro de multiatividades culturais e artísticas, um projeto comunitário que visa prevenir a exclusão social e que será desenvolvido no Bairro Piedade Jovem, nos Arrifes, disponibilizando instalações à associação nesta freguesia do concelho de Ponta Delgada.

“O projeto irá contribuir para a plena e efetiva coesão e integração dos moradores do Bairro Piedade Jovem, de acordo com o previsto na Estratégia Regional de Combate à Pobreza e à Exclusão Social”, salientou a Secretária Regional da Solidariedade Social.

Este projeto vai também envolver outras instituições e a equipa coordenadora do Polo Local de Desenvolvimento e Coesão Social dos Arrifes, com o propósito de identificar, até ao final do mês, 20 jovens que se enquadrem nesta iniciativa, que se pretende que arranque em fevereiro.

Os jovens serão selecionados entre aqueles que estão a ser intervencionados pelo Polo Local, que já tem em curso um plano de ação centrado no apoio às famílias, no desenvolvimento das suas competências para a resolução dos problemas, na promoção do sucesso escolar das crianças e jovens e na ocupação dos seus tempos livres e ainda no reforço das condições de empregabilidade dos mais jovens.

“Tal como este projeto que iniciamos agora, também o Centro Comunitário de Arrifes ‘Cubo Mágico’ está a desenvolver um conjunto de atividades lúdico-pedagógicas direcionadas para as crianças, com atividades ao nível do apoio aos pais na educação dos seus filhos, bem como atividades dirigidas ao reforço da empregabilidade dos jovens, pelo que consideramos estar no bom caminho no desenvolvimento de ações contra as problemáticas identificadas neste Polo”, frisou Andreia Cardoso.

A governante falava na cerimónia de cedência de um apartamento à Solidaried’arte, durante a qual foi também um contrato de cooperação com esta associação com vista a financiar a contratação de mais três recursos humanos, na área da psicologia, da animação de rua e dos serviços gerais, num reforço da comparticipação da Segurança Social no valor anual de cerca de 50 mil euros.

Com este reforço no financiamento por parte da Solidariedade Social, a Solidaried’arte passa a usufruir de um apoio anual superior a 103 mil euros.