Governo dos Açores diz que Plano para 2019 é o melhor dos últimos anos na agricultura

João Ponte, secretário regional da Agricultura e Florestas

O secretário regional da Agricultura e Florestas dos Açores considerou hoje que o Plano e Orçamento para 2019 do setor, que cresce 5,6%, é “o melhor plano para a agricultura dos últimos três anos”.

“Este é o melhor plano para a agricultura dos últimos três anos, daí que evidencie esse esforço que foi feito por parte do Governo [Regional] de dar mais verbas a um setor que é fundamental, afirmou João Ponte, em resposta às reivindicações dos parceiros sociais, que pedem mais fundos para a agricultura.

O governante, que falava à margem de uma audição acerca do Plano e Orçamento açoriano para 2019 no parlamento açoriano, acrescentou, ainda, que o aumento das verbas em 5,6%, o que corresponde a mais 3,2 milhões, não aconteceu “só por via da situação de seca, que foi uma situação excecional”.

“Mesmo retirando a componente da seca do plano, verificamos que houve um esforço muito grande da parte do Governo em continuar a dar meios para que a agricultura se desenvolva e cresça”, afirmou João Ponte, que apontou “uma dotação em plano de 4,6 milhões de euros” para os apoios às perdas geradas pela seca.

O responsável pela pasta da Agricultura e Florestas sublinhou a “aposta na modernização do setor ao nível das infraestruturas, seja de abastecimento de água, de novos caminhos, eletricidade para as explorações — que é fundamental para a melhoria do rendimento dos agricultores e para criar melhores condições de trabalho”, ações que custam ao executivo cerca de dez milhões de euros, adiantou.

João Ponte destacou também cinco milhões de euros em apoios da região para “investimentos feitos pelos agricultores e pela agroindústria na modernização do setor” que potenciam um “investimento muito grande do ponto de vista privado” na ordem de “cerca de 30 milhões de euros”

O Plano e Orçamento Regional para 2019 prevê um investimento público na área da Agricultura e Florestas de cerca de 173 milhões de euros.

Notícias relacionadas