PUB

A empresa pública Ilhas de Valor foi mandatada pelo Governo dos Açores para procurar soluções de alienação do capital social ou concessão dos hotéis da Graciosa e das Flores, anunciou hoje o presidente do executivo açoriano.

José Manuel Bolieiro afirmou que “encargo que foi atribuída à Ilhas de Valor é colocar no mercado, para venda ou concessão de exploração os dois hotéis propriedade da região”, geridos pela empresa pública, tendo salvaguardado que deve ser o mercado a gerir aquelas unidades e não o executivo açoriano.

PUB

O presidente do Governo falava aos jornalistas, na ilha Graciosa, onde se encontra em visita oficial, no final do Conselho de Ilha.

O Hotel da Graciosa passou em janeiro de 2020 para as mãos da Fundação Inatel, tratando-se do único hotel da ilha, inaugurado a 30 de junho de 2009.

Bolieiro manifestou a expetativa que “o mercado possa responder positivamente” face aos resultados apresentados pelo turismo dos Açores este ano, tendo afirmado que o concurso público será aberto logo que termine a atual concessão.

O presidente do Governo admitiu que a sua preferência é a venda dos hotéis detidos pela região.

No Conselho de Ilha, a secretária regional do Turismo, Mobilidade e Infraestruturas, Berta Cabral, referiu que o executivo açoriano não pretende reativar a denominada linha amarela da operadora pública de transporte marítimo Atlanticoline, que disponibiliza o transporte sazonal de passageiros e de viaturas entre todas as ilhas da região, com exceção da ilha do Corvo, uma vez que representava um prejuízo de 1,5 milhões de euros mensais.

Bolieiro referiu, a propósito, que “isso foi um mau negócio e não resolveu o problema do turismo dos Açores e a circulação inter-ilhas”, uma vez que foi uma aposta “muito penosa no arranque, nos horários, no cumprimento dos objetivos”, para além de “um desperdício de dinheiro para a qual a região não tem capacidade de suportar”.

O vice-presidente do Conselho de Ilha considerou, por seu turno, que “a solução que o Governo Regional apresentou é sempre boa desde que se cative pessoas para a ilha” e o hotel não encerre.

Questionado sobre o fim da linha amarela, o responsável considerou que “três toques semanais da linha branca, que contempla a ligação entre Faial, Pico, São Jorge, Graciosa e Terceira, será o ideal não só em termos de passageiros como de automóveis”.

Segundo o Estatuto Político-Administrativo dos Açores, o Governo Regional tem de visitar cada uma das ilhas sem departamentos governamentais (seis) do arquipélago pelo menos uma vez por ano.

A ilha Graciosa, com cerca de 4.300 habitantes, é classificada pela Unesco como Reserva Mundial da Biosfera, sendo conhecida como a ‘ilha branca’, designação inspirada nas características geomorfológicas e nos elementos toponímicos.

A ilha tem um único concelho, Santa Cruz da Graciosa, constituído por quatro freguesias: Vila de Santa Cruz, Vila da Praia, Guadalupe e Luz.

Pub