Pub

O líder do Governo dos Açores, José Manuel Bolieiro, afirmou hoje que o executivo “está empenhado em resolver problemas”, depois de o presidente do PS na região ter criticado a “falta de liderança” e de capacidade do governo.

A propósito de uma discussão sobre o setor espacial, durante o debate do Plano e Orçamento da região para 2023, que está a decorrer na Assembleia Regional, na Horta, o socialista Vasco Cordeiro criticou a “incapacidade” e a “falta de liderança” do Governo Regional para desenvolver as áreas do espaço, da ciência e da tecnologia.

“Constatamos, dois anos depois da entrada em funções deste governo, que não só esses setores, como os Açores, por via deles, estão a ficar para trás”, afirmou Vasco Cordeiro.

O líder parlamentar do PS/Açores, que chefiou o Governo Regional entre 2012 e 2020, criticou a “falta de transparência” e a “incapacidade prática” do executivo de coligação PSD/CDS-PP/PPM, considerando que durante a discussão do Orçamento “escassearam as respostas e abundaram as dúvidas”.

“Perdeu-se, lamentavelmente, o impulso, a iniciativa e a liderança decisivos para que uma região pequena como a nossa se afirmasse de forma clara e inequívoca como um dos ‘players’ fundamentais nessas áreas [da ciência, do espaço e da tecnologia]”, alertou.

No retomar dos trabalhos após a pausa para almoço, José Manuel Bolieiro retorquiu, assegurando que o executivo regional “está empenhado em resolver os problemas” deixados pela anterior governação.

“Este governo fala menos, mas está a proporcionar que se faça”, afirmou o social-democrata.

O líder do governo açoriano reiterou a “importância estratégica” daquelas áreas para o desenvolvimento da região, considerando que “a preocupação do deputado Vasco Cordeiro quanto ao espaço foi apenas um exercício de evaporação”, aludindo à ausência do socialista do hemiciclo.

José Manuel Bolieiro criticou ainda a falta de propostas sobre as autonomias regionais na proposta da revisão constitucional do PS na Assembleia da República

“O que dizer de um líder do PS/Açores que não convence o líder nacional do seu partido para incluir conteúdos autonómicos na revisão constitucional”, interrogou.

O Orçamento dos Açores para 2023, de cerca de 1,9 mil milhões de euros, começou na segunda-feira a ser debatido no plenário da Assembleia Legislativa Regional, onde a votação final global deve acontecer na quinta ou na sexta-feira.

O atual Governo dos Açores, de coligação PSD/CDS-PP/PPM e com o apoio parlamentar de Chega, IL e deputado independente, tomou posse em novembro de 2020, após 24 anos de governação socialista na região.

Pub