PUB

O Gil Vicente saiu hoje provisoriamente da zona de ‘play-off’ da I Liga portuguesa de futebol, ao vencer em casa o Santa Clara por 1-0, em jogo da 14.ª jornada do campeonato.

Em Barcelos, um golo de Murilo, aos 41 minutos, foi suficiente para os gilistas, que ainda viram Fran Navarro falhar um penálti (53), garantirem a vitória e interromperem uma série de seis derrotas consecutivas e sete jogos sem ganhar.

Assim, o Gil Vicente afasta-se, à condição, da zona de ‘play-off’ de manutenção na I Liga, subindo à 15.ª posição, com 12 pontos, menos um do que o Santa Clara, que é 14.º, e mais um do que o Famalicão, que defronta o Desportivo de Chaves na sexta-feira.

PUB

 

COMENTÁRIO

Golo feliz de Murilo Souza abate Santa Clara e finda jejum do Gil VIcente

O Gil Vicente venceu hoje o Santa Clara, por 1-0, em partida da 14.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol, decidida com um golo de Murilo Souza, que permitiu aos ‘galos’ quebrar um jejum de sucesso no campeonato.

O avançado brasileiro apontou o tento que desequilibrou o desafio aos 41 minutos, num remate com alguma felicidade, pois ainda desviou no defesa contrário Tassano, tendo Fran Navarro, já na segunda parte, desperdiçado uma grande penalidade, que daria o 2-0 para os minhotos, atirando ao poste.

Com este sucesso, na estreia do treinador Daniel Sousa na Liga, o Gil Vicente superou uma série de sete jornadas sem vencer no campeonato (um empate e seis derrotas consecutivas), ganhando algum fôlego na fuga aos lugares do fundo, seguindo, à condição, no 15.º posto, com 12 pontos.

Já o Santa Clara não conseguiu balancear-se para uma zona mais confortável da classificação, ficando no 14.º lugar, com 13 pontos.

Desde cedo se percebeu que esta partida seria condicionada pela forte, e incessante, chuva que hoje se fez sentir em Barcelos, e apesar do relvado ter dado boa resposta, as duas equipas sentiram algumas dificuldades para colocar tração no seu futebol.

Assim, a primeira meia hora foi de um jogo inconsequente, muito ‘mastigado’ em batalhas no meio-campo, com apenas algumas aproximações à baliza, em maior número para os locais, mas sem nunca terem sequência em termos de finalização.

A inaugural ‘sapatada’ nesta pobre toada pertenceu ao Gil Vicente, com Kevin Medina, a tentar desequilibrar com um remate de primeira, que o guardião dos açorianos susteve sem grande dificuldade.

O lance conseguiu, ainda assim, dar mais confiança, aos minhotos, que já aos 41 minutos, numa jogada trabalhada por Fujimoto e Fran Navarro, teve Murilo Souza como protagonista, num remate que ainda desviou no defesa contrário Tassano, traindo o guarda-redes Gabriel Batista, que não conseguiu impedir o 1-0.

O Santa Clara sentiu a infelicidade, numa fase crucial da partida, e demorou a recompor-se, deixando que, pouco depois, Fran Navarro se isolasse a passe de Aburjania, e não fosse uma intervenção preciosa de Gabriel Batista, teria ampliado a vantagem.

No regresso do intervalo, o conjunto insular deu mostras de querer reagir, surgindo mais pressionante e rondando a baliza gilista, mas, de novo, com dificuldades na definição final.

Os ‘galos’ apostavam, nesta fase, numa toada de contra-ataque, e, aos 53 minutos, desperdiçaram uma soberana oportunidade para chegar ao segundo golo, quando na cobrança de uma grande penalidade, a castigar um desvio com o braço de Ítalo a um remate acrobático de Kevin Medina, Fran Navarro atirou ao poste da baliza do Santa Clara.

O desperdício dos minhotos galvanizou os insulares, que continuaram mais pressionantes, e apesar de se debaterem com um terreno mais ‘pesado’ por força da chuva, iam conseguindo criar calafrios ao adversário.

Um cabeceamento do recém-entrado MT, que falhou o alvo por pouco, e um remate de longe de João Lima, também aposta para o segundo tempo, desviado pelo guardião gilista, pautaram a insistência do Santa Clara, que perante as condições adversas não teve fôlego para dobrar um Gil Vicente que protegeu com ‘unhas e dentes’ a preciosa vantagem.

Pub