Pub
O recandidato do PSD/A à autarquia ribeiragrandense, Alexandre Gaudêncio, defendeu a “contínua valorização das filarmónicas”, durante uma visita à Filarmónica Triunfo.
“Enaltecer o papel das filarmónicas como verdadeiras escolas de música e reconhecer o seu papel social e cultural junto dos mais novos aos mais velhos é uma prioridade que pretendemos dar continuidade”, frisou.
Alexandre Gaudêncio considerou que o apoio da autarquia, nos últimos anos, “foi fundamental” para a “sobrevivência das filarmónicas”.
“O reforço foi claro”, afirma. “Passou de 1000 euros, em 2013, para 6000 euros/ano em 2021 para cada filarmónica do nosso concelho”, disse.
O social-democrata deixou a garantia de num novo mandato “isentar as instituições sem fins lucrativos do pagamento do IMI”.
“A medida é justa visto que pretende minimizar os custos fixos das entidades sem fins lucrativos, em particular, nesta altura em que perderam grande parte dos seus rendimentos devido à pandemia”, esclareceu.
Ficou ainda o compromisso da autarquia criar um regulamento de apoio para aquisição de equipamentos, como viaturas, instrumentos musicais e fardamentos.
Uma câmara municipal presidida por Alexandre Gaudêncio pretende “estar ao lado das instituições do concelho” e ser um “parceiro ativo” na valorização dos seus trabalhos, como é o caso das filarmónicas.
Pub