Pub

O deputado do PS/Açores Francisco César disse esta quinta-feira, 4 de fevereiro, desconhecer “qualquer queixa ou inquérito judicial” em que o seu nome esteja envolvido, afirmando-se disponível para esclarecer o que for necessário.

“Desconheço qualquer queixa ou inquérito judicial que me envolva. Existindo alguma investigação que me inclua, como o jornal Correio da Manhã diz saber, confirmar-se-á que essa queixa está baseada em acusações infundadas e caluniosas. De qualquer modo estou, como sempre estive, disponível para esclarecer o que for necessário esclarecer ou até dar acesso à minha vida privada nesse âmbito. É com transparência que se combate a calúnia. Quem não deve não teme! É a única coisa que sei e posso dizer”, escreveu o socialista na sua página no Facebook.

Desconheço qualquer queixa ou inquérito judicial que me envolva. Existindo alguma investigação, que me inclua, como o…

Publicado por Francisco Vale César em Quinta-feira, 4 de fevereiro de 2021

Segundo o Correio da Manhã, Francisco César e o seu pai, o antigo presidente do Governo dos Açores Carlos César, estarão a ser investigados pelo Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) de Ponta Delgada.

Em causa estarão eventuais suspeitas de irregularidades em negócios entre o Governo Regional dos Açores – que foi presidido por Carlos César entre 1996 e 2012 – e empresas privadas, no que refere à atribuição de subsídios públicos.

O inquérito, diz ainda o jornal, terá sido aberto em julho de 2017.

O Ministério Público na Comarca dos Açores confirmou ao Correio da Manhã a existência de um inquérito que “se encontra em investigação, sem arguidos constituídos e sujeito a segredo de justiça”.

Carlos César é atualmente presidente do PS e presidente honorário do PS/Açores, enquanto Francisco César é deputado do PS no hemiciclo açoriano.

 

Pub