Pub

O deputado do PS/Açores à Assembleia da República, Francisco César, assegurou esta quinta-feira que, face à falta de respostas por parte da ANA, após terem sido eliminadas as escalas técnicas noturnas na ilha de Santa Maria, a empresa irá ser chamada à Assembleia da República para prestar esclarecimentos sobre esta matéria.

Para o vice-presidente do grupo parlamentar socialista, que falava à margem de uma visita às instalações da NAV Portugal, em Vila do Porto, “é importante garantirmos que o aeroporto funciona 24 horas por dia, nos moldes que antes existiam e que servem verdadeiramente a ilha”.

“Nós temos uma empresa privada que, infelizmente, detém o monopólio dos aeroportos em Portugal, e que tomou, há pouco tempo, a decisão incompreensível no sentido de eliminar os voos com escalas noturnas aqui na ilha. Ora, se para os governos do Partido Socialista e para a NAV esta é uma prioridade, para a ANA, pelos vistos, parece que não é”, manifestou o socialista.

Assim, e conforme recordou Francisco César, o investimento necessário por forma a conseguir manter o Aeroporto aberto à noite “rondará os cerca de 50 ou 60 mil euros”, montante que permitiria “ter, por ano, perto de 300 escalas e gerar postos de trabalho na ilha”.

Durante uma deslocação à ilha de Santa Maria, o socialista recordou ainda a aposta do Governo da República e, em particular, dos governos do Partido Socialista, no desenvolvimento da ilha de Santa Maria, referindo, a esse propósito, o investimento “de milhões de euros em infraestruturas e equipamentos” no polo da NAV sediado na ilha.

Segundo reforçou o vice-presidente do grupo parlamentar socialista, “nos últimos dez anos foi feito um investimento superior a 70 milhões de euros”, montante que apenas em investimento em software se traduz “em um milhão de euros ao ano”.

Mas, segundo acrescentou ainda o parlamentar, a NAV prevê investir “cerca de 20 milhões nos próximos dois ou três anos”, permitindo, desta forma, que a pista do Aeroporto de Santa Maria possa ter “maiores condições de segurança, de atratividade de investimento e de gerar emprego que se fixe na ilha”, realidade que contrasta “um pouco com aquilo que temos visto aqui ao lado”.

Assim, e para Francisco César, o objetivo é o de “continuar a manter Santa Maria como uma ilha que merece a atenção dos Governos do Partido Socialista”, lembrando que, apesar de a ANA já não ser da responsabilidade pública, não é por isso que “deixa de ter uma atenção da nossa parte, quer ao nível do continente como na Região.

Na ocasião, e referindo a questão que recentemente veio a público, de doentes Açorianos que foram impedidos de viajar com a TAP devido a overbooking, o deputado socialista assegurou ter obtido, por parte do Governo da República, a garantia de que “foram dadas instruções à companhia para acautelar, no futuro, situações como a que agora aconteceu”, mas também que se torne mais eficaz “a articulação com o Serviço Regional de Saúde, por forma a que a companhia saiba quando é que transporta passageiros nesta situação”.

Pub